Alunos da Faesa desenvolvem projeto de inclusão social

Orientados pelas professoras Eliane Caus Sampaio e Renata Cristina Laranja Leite, alunos do Curso de Computação desenvolvem projeto de inclusão social que será aplicado com ribeirinhos e indígenas na Expedição Amazônia promovida pela Faesa, que acontecerá dia 12 de maio. O programa de inclusão social é mantido pela unidade de computação e sistemas desenvolvido já há 12 anos.

O propósito é levar conhecimento de informática para indivíduos identificados como digitalmente excluídas, proporcionando conhecimento de noções básicas de computação, manuseio de aplicativos, manuseio de ambientes virtuais e, quando as pessoas têm interesse, até a utilização de ferramentas de programação.

Em 2015 os alunos participaram da Expedição Amazônia e visitaram dois ambientes: uma escola flutuante e uma comunidade indígena, na qual foi feito um levantamento procurando entender quais eram as necessidades daquela população. Em 2016 foi criada uma cartilha chamada Inconsciente, com base nos dados do levantamento, que fazia um conjunto de orientações de como usar a tecnologia em benefício de alguma necessidade que eles tivessem, distribuída gratuitamente.

Este ano os alunos do Curso de Computação vão utilizar novamente a cartilha,  atualizada e incrementada com um aplicativo de realidade aumentada, desenvolvido pelos próprios alunos. “Você projeta ele sobre a cartilha e ele faz uma animação com o objeto que estiver na cartilha, além disso conseguimos”, explica a professora Renata Leite.

Além da cartilha, Os alunos arrecadaram três notebooks que serão doados para a escola, juntamente com um treinamento de Schatch e 2 kits Arduinos, que são placas para o treinamento de robótica inicial. Para a comunidade indígena os alunos desenvolveram um ambiente virtual que será instalado e por meio do qual poderão ser agendada as visitas à comunidade. “Por fim visitaremos uma nova escola para início de um novo projeto. A intenção da doação dos computadores para a primeira escola e que continuemos a monitorar o desenvolvimento desses alunos”, acrescenta Renata Leite.

A aluna de jornalismo do 5° período Luisa Lang participou da Expedição Amazônia 2016 e garante que foi uma ótima experiência. 

Foi uma experiência única. Eu sabia que a cultura é muito diferente mas a gente só vê isso quando está lá vivendo. Viver isso foi legal, ninguém precisou me contar, eu vivi. Foi uma experiência maravilhosa também poder conhecer um pouco da rotina dos ribeirinhos”, ressalta Luisa.