Catracas entram em funcionamento na Faesa

A partir deste semestre os alunos e funcionários da Faesa em Vitória precisarão usar uma carteirinha magnética para entrar no Campus. Isso porque um sistema de catracas foi instalado para controlar os acessos à instituição. A medida estava prevista para ser aplicada no final de 2018, mas foi antecipada para este ano devido aos resultados da Pesquisa de Avaliação Institucional realizada no segundo semestre de 2016.

Screenshot_1
Resultado alcançado levou a instituição a priorizar a questão este ano. Imagem: Divulgação da Pesquisa de Avaliação Institucional

Embora nunca tenha havido qualquer ocorrência em relação à segurança no campus, a questão foi bastante abordada na pesquisa. De acordo com o levantamento, o índice de satisfação com o quesito ficou em 72,36% na avaliação, enquanto outros tópicos como ensino (97,54%), professor (97,27%) e infraestrutura física (91,94%) alcançaram médias altamente significativas. A pendência já era identificada em edições anteriores, como a de 2015/2, quando o indicador ficou em 71,97%.

A coordenadora da Comissão Própria de Avaliação (CPA) e membro da Assessoria de Planejamento, Controle e Avaliação (APCA) Marcelis Pereira explica que a questão foi posta como prioridade pois a média alcançada estava abaixa do valor mínimo esperado para a pesquisa. “O resultado da Avaliação Institucional está sempre conectado aos indicadores de satisfação determinados pela Faesa. O índice de satisfação para prestação de serviço, seja para alunos ou para professores e funcionários administrativos, precisa estar acima de 80% para ser considerado aceitável e de 90% para ser considerado ideal”, esclarece.

Devido aos resultados, a CPA realizou na última edição da pesquisa um levantamento mais detalhado onde foi identificada a catraca como a principal pendência entre os alunos em relação à segurança. “Alguns atores, internamente, como a Direção Administrativa, Reitoria, Segurança, Operações e até mesmo a área de Tecnologia foram envolvidos para fazer uma discussão sobre como nós melhoraríamos esse trabalho de satisfação”, explica a assessora.

Sensação de Segurança

Esta é a primeira vez em 45 anos de existência que a Faesa controla o acesso à instituição. Por ter como prioridade a participação comunitária, a entrada e saída de pessoas no campus sempre foi mantida livre pela administração. Mas com a sensação de insegurança crescendo devido aos índices de criminalidade no país, a responsabilidade com a proteção da comunidade acadêmica aumenta.

A gente está vivendo um contexto em que a sensação de desamparo da população em relação ao governo é muito grande. Não se tem uma sensação de segurança pública (…) Isso se reflete na situação da segurança (no campus). Quando eu me sinto seguro, eu me sinto protegido, me sinto amparado, e isso me dá uma sensação de bem estar, que dá tranquilidade para fazer o meu trabalho no dia a dia”, afirma o professor da Faesa e doutor em Psicologia Luciano Cunha.

catracassssssssss

A assessora de Direção Administrativa e coordenadora do projeto de implementação das catracas, Daniela Theodoro, explica que o sistema foi instalado como forma de proporcionar segurança e prevenir a ação de pessoas mal intencionadas, e esclarece que o acesso da comunidade continuará sendo permitido.

Todo mundo vai poder continuar entrando na Faesa, mas agora vai precisar se identificar. Caso não seja nem aluno, nem empregado, a pessoa vai ter que se identificar como visitante. Assim aquelas pessoas que têm uma segunda intenção vão pensar muito mais antes de querer entrar aqui para fazer algum mal”, diz Daniela.

Ela também garante que a proteção do campus pelo corpo de seguranças e através do conjunto de câmeras espalhados por toda a estrutura física da instituição permanecerá sendo exercida. “Nós temos o apoio de segurança na rua, ali perto de onde param os ônibus, em lugares estratégicos. Apesar de muita gente não ver, a gente sempre teve uma segurança bem reforçada aqui dentro”, declara a gestora.

Como funciona o sistema

Carteirinhas estudantis com chips magnéticos foram confeccionadas no final do primeiro semestre deste ano aos matriculados, e estão sendo entregues através das coordenações dos cursos. É utilizando essa carteirinha que o aluno irá destravar o sistema para passar pela roleta. Basta aproximá-la do leitor magnético e afastá-la logo em seguida, e a catraca será liberada. Ao realizar o movimento, a luz vermelha que representa o travamento da catraca mudará para a cor verde, indicando que o aluno já pode atravessar.

A administração destaca que o mês de agosto será considerado um mês piloto. Testes e aperfeiçoamentos serão feitos a todo o momento para garantir a fluidez e o funcionamento correto do sistema. Durante a primeira semana de aula (31 de julho a 5 de agosto), as catracas estarão livres no período de entrada dos alunos, estando em funcionamento entre os horários de 9h e 17h. A partir do dia 7, no entanto, o horário de funcionamento será integral.

Datas

  • Catracas funcionando de 9h às 17h: de 31 de julho a 6 de agosto
  • Catracas funcionando em período integral: A partir de 7 de agosto

Um comentário em “Catracas entram em funcionamento na Faesa

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: