Postagens feitas por robôs interferem em debates políticos nas redes sociais

Em um século de virtualidade em abundância, as redes sociais já se tornaram palco importante para a disseminação de ideias e discussões em torno de diversos assuntos. A probabilidade de ampliar a repercussão de um fato através da rede é tão grande que os investimentos em plataformas de conteúdo com linha editorial voltada a explorar características polêmicas e controversas de uma situação para aumentar o número de cliques é perceptivelmente crescente.

interferencia_bots

Esquema mostra a concentração de robôs (pontos rosa) apoiadores de Dilma (área vermelha) e Aécio (área azul) nas últimas eleições para presidente. Fonte: FDV/DAPP

O problema é que essa característica comunicativa não é apenas utilizada para impulsionar páginas, sites ou publicações para ampliar rendimento — o que, não por isso, tornam-os livres da sensação de incômodo provocada —, mas também para manipular informações e persuadir usuários a acreditar e adotar determinada ideia.

Isso é tanto praticado por pessoas reais intencionadas a executar tal atitude, quanto por tecnologias automatizadas: os chamados social bots. Uma pesquisa feita pela Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getúlio Vargas (FDV/DAPP) mostra os efeitos dessa automação das postagens em redes sociais no cenário político nacional.

Robôs são usados para inflar debates políticos

961731_5f3be974548941b6935d29c2a7e5105f-mv2De acordo com pesquisa divulgada no site da instituição, os acontecimentos políticos que marcaram os últimos anos tiveram a interferência, nas mídias digitais, de robôs programados para influenciar a percepção das pessoas sobre determinado assunto e instigar indivíduos a seguir pontos de vista específicos de grupos, partidos políticos e organizações. Essa tecnologia atua utilizando perfis falsos  — artificialmente ou manualmente montados para parecerem verídicos — para reproduzir um determinado discuso em redes sociais como o Facebook e o Twitter de forma automática, por meio de algorítimos.

Na prática, essas contas administradas por programas de computador fazem diversas postagens elaboradas por meio de inteligência artificial de forma que elas alcancem um grande número de pessoas (subindo nos Trending Topics, por exemplo) e aparentem se tratar de um posicionamento de um número massivo de indivíduos.

A utilização de robôs nas redes sociais mascara o debate político. Esses sistemas aumentam a menção de um determinado candidato para favorecê-lo. Um exemplo é a última eleição para presidente, quando robôs foram ativados para Aécio e Dilma, elevando o alcance desses nomes nas redes de forma clandestina”, diz o especialista em mídias digitais e professor da FAESA Felipe Tessarolo.

De acordo com a pesquisa da DAPP, 2307185 postagens foram geradas a partir de automação no Twitter durante debate entre Aécio Neves e Dilma Rousseff no segundo turno das eleições presidenciais de 2014. No primeiro turno, foram identificados 1565773 tweets de robôs dos candidatos Dilma Rousseff, Aécio Neves, Marina Silva e Luciana Genro, que registrou a menos concentração.

O pesquisador Fábio Malini, professor da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), alerta em uma matéria publicada em O Globo sobre as possíveis características de um perfil ou postagem gerado por um social bot nas redes sociais.

Como identificar um perfil ou publicação fake

  • Muitas mensagens

O primeiro ponto é: elas publicam muito, centenas de mensagens por dia.

  • Softwares de gerenciamento

O controle da atividade nunca é feito diretamente pelo site ou aplicativo da rede social, que permite o login em apenas uma conta. Os criadores usam sofwares de gerenciamento, como o Hootsuite. E essa informação é visível nos metadados das mensagens.

  • Sem interação

A maioria dos textos publicados pelos bots são retweets ou compartilhamentos de terceiros, e por serem automatizados, eles nunca interagem com outras pessoas em conversas.

  • Monetização

Normalmente, os bots tratam de apenas um tema. Se for para vender um serviço, vai fazer publicações apenas relacionadas a esse serviço. Se for político, vai publicar mensagens apenas do seu campo.

Fonte: O Globo
grafico-fb-folha.png

Gráfico exibe a quantidade de menções a candidatos durante debate político nas eleições presidenciais de 2014. Fonte: Folha de São Paulo