A paixão pelo teatro

Entre uma aula de teatro e outra, o amor pela arte cresceu e assim os alunos José Eduardo, Joyce Patrocínio, Bruna Suellen e Victor Pavan ingressaram nessa área.

O curso de teatro da FAESA, ministrado pelo professor Felipe Dall’orto teve duração de 3 meses e se encerrou no final do ano passado, desde então esses alunos continuaram a praticar a arte. Mas a paixão pelo teatro não parou por aí, eles participaram de um teste que possibilitava a entrada no curso preparatório para o curso técnico da Escola Técnica Municipal de Teatro, Dança e Música (Fafi). No dia 18 desse mês eles receberam a notícia que haviam sido aprovados.

O professor Felipe Campo Dallorto começou com o projeto de Teatro na faculdade para despertar a arte nos alunos, desenvolvendo o lado criativo e trabalhando com as potencialidades de cada um.

A ideia do teatro não é formar atores e sim despertar a arte nos alunos. Mesmo você não virando um ator profissional, você vai usar o teatro para sua profissão, é nisso que eu acredito, é claro que a gente monta um espetáculo, procura desenvolver essa veia artística. Tanto é que alguns alunos se identificaram com a arte e procuraram seguir esse “chamado”, mas o mais importante é estimula-los a usar o teatro na vida e na profissão deles”, contou Dallorto.

O aluno José Eduardo, sexto período de Engenharia Civil, contou como está a expectativa sobre o curso e como essa experiência pode ajudá-lo na vida profissional e pessoal.

Minha expectativa é que as aulas de teatro me proporcionem experiências de aprendizado com pessoas de estilos, religiões ideias e opiniões diferentes da minha e que possam contribuir positivamente com minha postura, minha expressão e comunicação, apesar de não me considerar uma pessoa tímida”, comentou o futuro engenheiro.

Foto

Alunos ensaiando com o professor Felipe Dall’orto / Foto: Daniele Canholato

O estudante de teatro ainda comentou como as aulas irão ajudar na sua vida profissional, já que cursa Engenharia Civil.

Lado profissional, acredito que sou muito mais aberto para receber opiniões diferentes a minha, minha mente é muito mais aberta pra aprendizado por conta do teatro”, disse o estudante.

Para a estudante de Jornalismo Joyce Patrocínio, o teatro foi uma forma de aprender com as pessoas e a comunicação entre elas.

O pouco de contato que eu tive com o teatro até agora me mostrou o quanto é importante a troca entre as pessoas e o aprendizado, e é exatamente isso que eu espero”, relatou Joyce.

Sobre a vida profissional, ela ainda comenta como o teatro vem ajudando.

O teatro quebra barreiras, a partir dele a percepção de si e do próximo é latente, isso é lindo, raro. Esse contato nos torna mais sensíveis, e como consequência influencia positivamente em todas as áreas da vida, te revela um ângulo diferente de levar as relações interpessoais” explicou a estudante.

Para Vitor Pavan, estudante de Publicidade e Propaganda, o teatro é uma forma de aprender mais sobre o improviso e controlar a ansiedade de falar em publico. Ele ainda fala sobre como o teatro te ajuda no curso e na vida.

Foto

Alunos ensaiando com o auxilio do professor Felipe Dallorto / Foto: Daniele Canholato

Estou cursando publicidade e quero seguir o meio acadêmico, então vai me ajudar muito, principalmente a parte sobre improvisação”, contou Pavan.

A estudante de jornalismo, Bruna Suellen, contou que suas expectativas só aumentam e que a galera que conheceu é super alto-astral e isso trás uma energia bacana para os integrantes. Ela ainda comenta sobre o desejo de querer aprender ainda mais.

Eu espero cada dia mais aprender e me aprofundar na arte do teatro e desenvolver as varias versões de mim, eu espero melhorar a minha fala, minha interpretação e atuação! Mas mais do que isso tudo, quero estar em contato com essa arte que tem me modificado a cada dia, e conhecer várias pessoas que estão tomadas por essa arte também”, comenta a estudante.

Bruna ainda conta sobre os benefícios que o teatro trouxe para sua vida acadêmica e pessoal.

O teatro me ajuda com a facilidade de interagir com as pessoas, de me comunicar. Facilita a ter coragem de olhar no olho das pessoas, você passa a ver o mundo de uma forma diferente, é como se você se tornasse mais sensível pras coisas e pras pessoas. Me ajuda a ser quem realmente quero ser sem muitos pudores”, relatou Bruna.

Foto

Da esquerda para a direita: Vitor Pavan, Bruna Suellen, Joyce Patrocínio e José Eduardo / Foto: Daniele Canholato