Jornalismo e empreendedorismo juntos? Oi?!

Você sabia que a faculdade está cheia de pessoas empreendedoras? Inclusive, alunos do curso de Jornalismo estão investindo cada vez mais nessa forma de ganhar dinheiro com ideias próprias.

Mas o que seria empreender? De acordo com Marcos Hashimoto, Doutor em Empreendedorismo:

Empreender é ter autonomia para usar as melhores competências para criar algo diferente e com valor, com comprometimento, pela dedicação de tempo e esforço necessários, assumindo os riscos financeiros, físicos e sociais”, disse o especialista, em matéria para o side do Pequenas empresas & Grandes negócios, mostrando aos leitores que criar um negócio próprio requer esforço e dedicação total ao projeto.

O Faesa Digital entrevistou três alunos do curso de Jornalismo e todos eles foram unânimes em dizer o quão difícil é empreender, mas fazendo o que se gosta, as coisas se tornam mais fáceis e cada vez melhores. Todos disseram, também, que pretendem expandir seus negócios e viver somente da renda desses trabalhos.

Daniel se dedica à fotografia, mesmo estando no início de sua carreira, ele pretende seguir nessa área e ganhar cada vez mais espaço no meio.

DANIEL MASSARONI_MATERIA INGRID_MANIPULADO_JOÃO VITOR GOMES.png
Daniel Massaroni, fotógrafo / Foto: João Vitor Gomes

Daniel Massaroni, 21 anos, 6º período de Jornalismo da FAESA @danielmassaronifotografia

Faesa Digital – Da onde surgiu a ideia de empreender?
Daniel – Foi uma ideia que surgiu de juntar o útil ao agradável. Eu amo a fotografia e poder trabalhar e gerar uma renda acaba por incentivar a seguir a minha carreira.

O dinheiro que você ganha vendendo seus produtos e serviços é uma renda básica?
No meu caso é uma complementação. Eu tenho um estágio que me gera uma renda fixa e trabalhar como fotógrafo ainda não superou e nem me deu a estabilidade que eu tenho com meu estágio.

Você tem obtido sucesso no meio empreendedor?
Eu estou vendo o quanto é difícil começar um negócio próprio. Envolve muitas coisas, tem divulgação, a busca para conseguir novos clientes e fazer seu nome, então, por enquanto está sendo difícil alcançar o sucesso. Mas estou correndo atrás porque temos que acreditar até alcançar o sucesso.

Quais são os seus planos para o futuro?
Meus planos são terminar a faculdade primeiramente e começar a trabalhar, e nesse meio tempo, investir ainda mais na carreira de fotógrafo para que lá na frente eu possa ser autônomo e trabalhar com fotografia.

Como é conciliar um curso de Jornalismo com a área do empreendedorismo?
Para mim está sendo bem tranquilo. A maioria das vezes que eu vou fotografar acontece nos finais de semana, o que não atrapalha muito, porque descobri que eu amo trabalhar, além do mais, é uma área que eu gosto muito, e eu também acabo viajando muito para outros lugares. Eu acho que com um planejamento certo uma coisa não atropela a outra e é isso que está acontecendo comigo.

Cursar Jornalismo te ajuda na hora de empreender?
Ajuda sim, claro, o segredo hoje para empreender é você saber se comunicar, saber se expressar e conseguir vender o produto. O curso me ajudou nesse sentido. Não tive aulas de como me comunicar, mas estar no meio de pessoas que são excelentes comunicadores, me fez ter referências de como melhorar minha comunicação com as pessoas, até mesmo porque eu era muito tímido e não conseguia me expressar direito.

O Acácio faz um trabalho de jornalismo digital

Acácio pretende expandir seu site, além de ter um interesse em aprender. Apesar de seu blog não gerar renda, ele dedica parte do seu tempo para esse trabalho incrível. Ele faz notícias de seu município e dos vizinhos para todo o estado.

ACÁCIO_MATÉRIA INGRID_MANIPULADO.png
Acácio Rezende, criador do blog “Estado News” / Foto: João Vitor Gomes

Acácio Rezende, 19 anos, 2º período de Jornalismo da FAESA estadoesnews.blogspot.com.br

Faesa Digital – Da onde surgiu a ideia de empreender?
Acácio – Eu sempre gostei de publicar noticias, de fazer notícias, reportagens. Daí surgiu a ideia de criar um blog com as notícias da localidade onde moro, que é no interior de Alegre, porém não havia um site para eu postar essas notícias. Consegui achar um site e me registrar gratuitamente.

O dinheiro que você ganha vendendo seu serviço é uma renda?
 Meu blog ainda não gera renda.

Você tem obtido sucesso no meio empreendedor?
Tem sim. Mesmo não recebendo financeiramente, eu ganhei muitas oportunidades no meio da comunicação.

Quais foram essas oportunidades?
Fui chamado para uma reunião em uma empresa de jornalismo em Cachoeiro de Itapemirim para eu trabalhar em Alegre fazendo notícias e mandar para um site conhecido, mas como vim pra Vitória, não tive como aceitar.

Quais são os seus planos para o futuro?
Crescer com o blog, aprender cada dia mais, aprofundar meu conhecimento para seguir com meu blog e conseguir um emprego na área que eu gosto, que é a TV.

Como é conciliar um curso de Jornalismo com a área do empreendedorismo
Quando você gosta de uma coisa, sempre sobra um tempo. Eu gosto do meu blog, por isso sempre sobra tempo. Passo algumas dificuldades por conta do tempo. Quando as aulas da faculdade apertam, consequentemente meu blog é deixado um pouco de lado.

Cursar Jornalismo te ajuda na hora de empreender?
Além de ajudar na hora de me comunicar, também me ajuda a aprender mais sobre o jornalismo em si e a aplicar o que foi aprendido no meu blog. Quanto mais você fica na faculdade, mais aprende e consequentemente me ajuda no blog.

Isabella investiu na gastronomia

Isabella possui um Instagram sobre gastronomia e dedica parte de seu tempo para dar dicas sobre lugares onde vende doces incríveis! Ela vem ganhando mais visibilidade nesse ramo, além de fazer sorteios maravilhosos de doces.

isabela_empreendedorismo_ingrid3
Isabella Mendes, criadora da página do Instagram, “Hiperglicemia” / Foto: João Vitor Gomes

Isabella Mendes, 26 anos, 1º período de Jornalismo da FAESA
@hiperglicemiaoficial

Faesa Digital – Da onde surgiu a ideia de empreender?
A ideia começou como hobby. Juntei as experiências e ideias gastronômicas e criei uma página para divulgar e ser acessível as outras pessoas. Com o tempo a ideia repercutiu e recebi convites de eventos e produtos em casa. Com a ajuda da família, resolvi tomar um rumo mais profissional.

O dinheiro que você ganha vendendo seus produtos e serviços é uma renda ou só complementação?
Como divulgava muitas pessoas iniciantes, elas não tinham condições de pagar para divulgar, então ganhava produtos. Com a ascensão da página, muitas lojas de renome têm me procurado e agora costumo receber retorno financeiro.

Você tem obtido sucesso no meio empreendedor?
No começo foi lento, mas hoje eu já venho recebendo mais retorno.

Quais seus planos para o futuro?
Ampliar a página. Consegui apoio dos meus pais para cursar Jornalismo justamente por causa do blog. Quero expandir para fora do estado, inicialmente para o sudeste e depois para o Brasil.

Como é conciliar um curso de Jornalismo com a área do empreendedorismo?
A carga horária é pequena, então dá para conciliar. Geralmente os eventos são à tarde ou à noite, então é tranquilo. A página me proporciona muita flexibilidade.

Cursar Jornalismo te ajuda na hora de empreender?
A área tem tudo a ver. Vai me ajudar a desenvolver a escrita e organizar as ideias. Acho, também, que a questão do network, de professores que estão na área e têm experiência vai me ajudar bastante.

Alguns jornalistas já vêm obtendo êxito no meio empreendedor

Alguns jornalistas, já formados, vêm obtendo sucesso no meio empreendedor com ideias inovadoras. Como é no caso do Felipe Seligman, criador da “Brio”, Bruno Torturra, criador do “Fluxo” e da Natália Viana, participante do “Agência Pública”.

Felipe-Seligman-1-e1435941189275
Felipe Seligman, criador da Brio / Foto: Arquivo pessoal

A Brio é uma plataforma multimídia que serve como uma espécie de criação colaborativa, onde os usuários podem, tanto consumir, quanto veicular uma notícia. Criada em 2015, o leitor precisa pagar uma quantia para ter acesso às reportagens do site, e o valor fica dividido em 55% para o autor da matéria e 45% para a Brio.

 

 

13095773_10209152284869998_6656689895008641923_n
Bruno Torturra, criador do Fluxo / Foto: Arquivo pessoal

A ideia do Fluxo é ser uma redação colaborativa, localizado no centro de São Paulo, a fim de que qualquer jornalista possa produzir suas próprias reportagens, em diversos formatos (jornais, revistas, transmissões ao vivo, rádio, fotografia, televisão). O interesse de Bruno é fazer com que o Fluxo se torne independente financeiramente, tendo uma relação direta com sua audiência, sem comerciais e propagandas.

 

natalia-viana-2
Natália Viana, colaboradora do Agência Pública / Foto: Arquivo pessoal

A Agência Pública, criada em 2011, também é uma agência independente. Ela abastece cerca de 60 portais de notícia com suas matérias, normalmente de jornalismo investigativo e sobre direitos humanos. O modelo de negócio se baseia no financiamento coletivo, onde instituições e leitores podem financiar e serão beneficiados de acordo com seus interesses. A Agência Pública trabalha com vários tipos de reportagens, desde política até entretenimento.

Parece que o empreendedorismo e o jornalismo andam juntos no mercado de trabalho.

E você? Tem alguma ideia legal e quer empreender? Não desanime e faça. As chances de obter sucesso são grandes. Está esperando o que para virar um novo empreendedor de sucesso?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: