CBN nos 466 anos de Vitória

Na sexta-feira (08), a capital capixaba completou 466 anos de história e a rádio CBN celebrou na quarta (06) com um debate comandado pela comentarista Fernanda Queiroz, dentre os convidados estavam o prefeito de Vitória Luciano Rezende e um time de especialistas. A transmissão ao vivo aconteceu diretamente do Palácio Sônia Cabral e teve direito a alguns clássicos da música popular brasileira e do Espírito Santo com o grupo de chorinho Na Intimidade do Samba.

Diante de uma plateia cheia de convidados, alunos universitários que se inscreveram para o evento e moradores do Centro, o programa debateu o passado, presente e futuro da cidade de Vitória. Para compor o debate estavam presentes o comentarista de tecnologia Gilberto Sudré, o historiador Fernando Achiamé, o ambientalista Marcos Bravo, a professora de arquitetura e urbanismo Viviane Pimentel e os pesquisadores Yohanna Cuca e Michel Vasconcelos.

Vitória é uma senhora que quer esconder a idade”, brincou o historiador Fernando Achiamé

Primeiro convidado a falar, Achiamé abordou aspectos históricos e apontou nuances de uma Vitória que muitos não conhecem. Ele lembrou alguns títulos que a cidade leva, como “Cidade Presépio”, por conta da iluminação dos morros e ressaltou as belezas naturais da menor capital do Brasil em extensão.

O prefeito Luciano Rezende conversou sobre os planos para o futuro, que apontam para uma cidade economicamente voltada para a tecnologia, prestação de serviços e turismo. A partir daí os convidados direcionaram o debate. O comentarista da rádio CBN, Gilberto Sudré, lembrou dos feitos realizados em terras capixabas na área de tecnologia. Já Marcos Bravo destacou os desafios de Vitória no que diz respeito ao meio ambiente, enquanto Viviane Pimentel falou das mudanças ocorridas ao longo do tempo com a descentralização da capital do Espírito Santo e a importância da revitalização do Centro. Os pesquisadores Yohanna Cuca e Michel Vasconcelos falaram sobre a Praia de Camburi e suas peculiaridades.

Três reportagens especiais aumentaram nossa curiosidade e perspectiva sobre a cidade e como foram suas mudanças ao longo dos anos. Uma senhora de 106 anos abriu o especial e a partir de suas memórias foi possível imaginar as mudanças que ela acompanhou ao longo de um século de vida na capital.

Na segunda reportagem do especial, nós demos uma volta pelos anos 60, 70 e 80 ao ouvirmos relatos de como era a vida noturna capixaba e quais os pontos de encontro mais populares. Um deles era o Britz Bar, que agitava as noites do Centro.

E depois citações sobre a arquitetura, gastronomia e lazer, nos fizeram conhecer um pouco mais dos esportes e campeonatos que deixaram suas marcas na cidade.

Um evento que nos possibilitou saber mais sobre de onde viemos e mostrou os caminhos para o futuro. Mas, o que vem por aí também parte de nós, não é mesmo? Quem já está ansioso pelos 467 anos?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: