Monitores? Agora são Anjos FAESA!

A Jornada Científica e Cultural (JCC) deste ano está contando com uma ajuda especial. Cerca de 80 monitores —alunos que se inscreveram para fazer parte da organização do evento— estão auxiliando a instituição na atividade de deixar tudo funcionando perfeitamente como o programado. Em um esforço colaborativo, eles proporcionam à comunidade acadêmica a segurança necessária para desfrutar das palestras e oficinas com o mínimo de preocupações. Por conta disso, agora eles têm um termo que faz jus à importante função: Anjos FAESA.

DSC_0035

Bianca Rodrigues (à esquerda) junto com os monitores em momento de descontração. Foto: Caio Soares

Em uma fala informal no discurso de abertura do evento, o reitor da FAESA Centro Universitário Alexandre Nunes Theodoro nomeou os alunos desta forma, por estarem vestidos de branco e espalhados pelo auditório prontos para ajudar outras pessoas. Resultado? O nome foi adotado pelos organizadores.

Luiz Cláudio da Silva, estudante de Biologia, gostou do novo nome. “Está sendo muito gratificantes ajudar a manter tudo em ordem, ainda mais agora sendo anjo da FAESA“, declara o estudante. Para ele, o projeto mostra o avanço da qualidade da instituição. “Eu já tinha uma visão boa da FAESA, e o projeto de monitoria só ajudou a melhorar essa minha visão. Pude ver que as coisas só estão melhorando”, diz o aluno. Bianca Rodrigues, supervisora do Núcleo de Pesquisa, Extensão e Cultura e responsável pela atividade de monitoria, destaca a relevância da função.

Ser um Anjo FAESA propicia aos alunos a oportunidade de vivenciar a organização de um evento científico de tamanha dimensão, além de promover a interação acadêmica entre os alunos dos mais diversos cursos da instituição. E é claro o sucesso do evento não seria o mesmo sem a participação deles”, diz Bianca.

DSC_0014

Para Caio Soares, estudante do curso de Direito, ser um anjo da Jornada Científica e Cultural está sendo uma oportunidade de conhecer novas pessoas. “Normalmente não se vê interação entre os alunos de outros cursos, e ser monitor deu a oportunidade de fazer amizade com pessoas de cursos diferentes”, diz o aluno. Esse ambiente compartilhado, de acordo com Estevão Fortunato, estudante de Publicidade e Propaganda, proporciona aos monitores o espaço para troca de experiências.

Eu estou aprendendo não só trabalhar em equipe, como estou ampliando meus conhecimentos em outras áreas. Eu passo experiência para os outros monitores sobre Publicidade, e eles falam muitas coisas que eu não sei da área deles também. Um colega meu, por exemplo, não sabia o que era ‘teaser’ e ‘spot’, e eu expliquei”, conta o estudante de Publicidade e Propaganda.

DSC_0007

Esther Cruz, do 2º período de Engenharia Mecânica e Nicolly Aquino, do 6º período de Engenharia Civíl são monitoras da JCC 2017 / Foto: Caio Soares

Além da interação e troca de experiências, as atividades de monitoria servem para aproximar outros estudantes. Thomaz Daniel, aluno de Engenharia da Computação, conta que só conhecia um dos monitores, e agora já até está marcando para sair com novos colegas. “Nós já temos vários grupos no Whatsapp onde a gente interage, fala sobre a Jornada e até planeja para fazer outras atividades”, diz o aluno.

Já Ana Paula Nascimento é estudante de Engenharia Ambiental e também estagia no núcleo que coordena o evento. Ela ficou responsável por treinar os alunos participantes da monitoria, e destaca que essa foi a oportunidade para pôr em prática uma habilidade. “Eu já ouvi muito que tenho perfil para liderança, mas eu nunca tive a oportunidade de colocar isso em prática. Ser responsável pelos monitores acendeu em mim o desejo de talvez ser empreendedora”, conta Paula.

DSC_0043

Obrigado, anjos! Vocês fizeram acontecer!