Diário de Curso: O primeiro ano de um futuro psicólogo

A Psicologia estuda os fenômenos da mente e do comportamento do ser humano. Para isso, o psicólogo deve analisar as emoções, ideias e os valores de cada pessoa, assim, o diagnóstico e prevenção de distúrbios e doenças que afetam a mente serão precisos. Com o intuito de trazer para mais perto aqueles que querem seguir caminho na Psicologia, a FAESA apresenta infraestrutura adequada e extensa, além de professores mestres e doutores para que alunos se sintam cada vez mais bem-vindos aqui.

George Werbeth de Jesus Almeida tem 21 anos e é estudante do segundo período de Psicologia na FAESA. No início do ano, quando se matriculou no curso, tinha vários pensamentos e expectativas. Entre tantos sentimentos diferentes, existia a ideia de que o curso de Psicologia era muito simples e, na realidade, é muito mais complexo do que se imagina.

Não passa pela sua cabeça a infinidade de atuação e utilidades da Psicologia”, conta.

WhatsApp Image 2017-11-16 at 16.12.49

Alunos de Psicologia ainda no primeiro período do curso. George é o único com os polegares levantados na foto da turma

Com dois períodos já cursados, as expectativas do estudante mudaram e outras nasceram também. Com a experiência contada pelos professores mestres e doutores, eles não deixam nada a desejar. “É claro que sempre vai ter um ou outro professor que você se identifica mais, e alguns que você não tem a mesma identificação, mas de uma forma bem linear todos são muito bem preparados e se esforçam para que todos os alunos consigam absorver o que eles tentam passar”, explica.

hugs.gif

Estando na FAESA há apenas dois semestres, George já tem muita experiência acrescentada ao que chamamos de “bagagem cultural”, ou seja, tudo aquilo o que carregamos de cultura em nossa vida. Muitos pensamentos gerados pelo senso comum já foram retirado da mente do aluno e essa foi a maior experiência que ele teve até agora.

Isso é algo que pra mim tem muito valor, o tanto de conhecimento que eu já consegui compilar até agora”, acrescenta.

Entre tantas matérias que gostou de ter acrescentado ao currículo, Etologia, com o professor Felipe Pimentel, e Psicologia do Desenvolvimento Humano I, com o professor Francisco de Assis, foram disciplinas que ficaram marcadas na vida de George. “Se nos próximos períodos eu tivesse a oportunidade de escolher uma matéria dos primeiros períodos, seriam essas duas com certeza!”, afirma.

Infraestrutura

Trazendo os alunos para uma prática bem próxima do que acontece fora da faculdade, eles frequentam e atendem mais de 1000 pessoas da comunidade por semestre na Clínica-Escola de Psicologia, onde mais de 1000 pessoas da comunidade por semestre são atendidas. Uma grande realização, não?

Mas a clínica-escola não é o único local de atuação dos futuros psicólogos. Os laboratórios de Neuroanatomia, Condicionamento Operante e o Núcleo de Aplicações Tecnológicas (NAT) são utilizados pelos estudantes do curso ao longo dos cinco anos em que estarão aqui. Fora essas atuações, os alunos passam por estágios supervisionados, podendo trabalhar na clínica-escola da faculdade ou em campo, abrindo o leque de oportunidades ao trabalharem em unidades de saúde, escolas e outras instituições de acordo com o ramo da Psicologia que seguirem.

A estrutura da FAESA surpreendeu George e ele não se arrepende de ter escolhido esta instituição para a graduação. “A FAESA é aquele tipo de lugar que te surpreende de todas as formas possíveis. E, quando você entra no prédio, sua admiração pelo lugar aumenta ainda mais, pela estrutura, organização, segurança, etc”, detalha. Feliz por estar cursando o que ama em um lugar que passou a amar e admirar, ele não opina se precisa mudar algo na faculdade. “É o que dizem: em time que está ganhando, não se mexe, né?”, brinca.

George está muito encantado com a estrutura da instituição e com a Psicologia também, mas relata que não é curso para todo mundo. Para se dedicar e ser um bom psicólogo no futuro, o aluno de Psicologia deve gostar de gente.

Meu professor uma vez contou que devemos nos perguntar se gostamos de gente. Se a resposta for positiva, nós (alunos) temos plena capacidade de seguir até o fim. Se a resposta for negativa, devíamos passar na coordenação e mudar nosso curso”, diz rindo.

Por estar muito satisfeito com a FAESA como instituição, coordenação, estrutura e tudo o que envolve o universo do centro universitário, ele indicaria a faculdade para os amigos com muita facilidade. “Se para mim está satisfatório, eu quero que outras pessoas experimentem também. Inclusive, tenho um amigo que faz Engenharia aqui por indicação minha”, revela.