Sem filas de banco: a virtualização da economia

Vivemos uma nova era: isso vem sendo dito há anos. Mas a forma como isso se torna cada vez mais evidente impressiona, até mesmo pelas múltiplas possibilidades de interação social, política e econômica que a inovação tecnológica tem gerado. O alcance parece ser “ao infinito e além”.

bitcoin GIF-source

A bola da vez veio na forma das criptomoedas, que são verdadeiras moedas virtuais codificadas com função de meio de troca e que tem como pioneira a Bitcoin, criada em 2009 e que, hoje, custa mais de vinte mil reais a unidade. Além delas, estão em alta também a Ethereum e Litecoin, por exemplo.

Para entrar neste mundo, são necessários intermediários. Neste sentido, são necessárias as “exchange“, que funcionam como bolsas de valores digitais para centralização de transações. A nova representante brasileira nesses termos é a chamada CriptoHub, que vem com promessa de taxas menores, e pretende então se consolidar no mercado nacional e ser, em breve, a maior do país.

Bancos online: você já usa algum?

O fim do stress e das filas está próximo. Você já deve ter ouvido falar pelo menos do NuBank. Mas acredite: são muitas opções que garantem fácil acesso e descomplicação. Cadastros inteiramente online, realizados por aplicativos para smartphone, baixas anuidades ou até mesmo isenções.

mão com unhas pintadas de preto segurando cartão de crédito

Para se cadastrar é muito fácil e o cartão chega rapidinho

Outros exemplos de agências bancárias digitais mais usadas no Brasil são: o banco Inter, o Original, o Next Bank (do grupo Bradesco), o Trigg e o Neon, aceito ao redor do mundo e com opção de internacional pré-pago, que serve como ótima alternativa aos viajantes.

A propaganda do Nubank é bastante convincente: “Olá, liberdade. Finalmente você no controle do seu dinheiro“. O que começou como uma startup é hoje avaliado em bilhões. Contando com uma linguagem jovem, o banco busca garantir o fim da complexidade. O cartão de crédito disponibilizado apresenta a bandeira MasterCard, com o diferencial de ser sem tarifas ou anuidades.

handVirtualCard

Para criar uma conta, o usuário baixa o aplicativo e tem a análise cadastral e de crédito toda realizada virtualmente. Em geral, não exige drástica comprovação de renda. Um detalhe interessante e ultra moderno é a forma de envio de documentos, realizada por foto via dispositivo móvel. Sim, o cliente fotografa pelo celular e inclusive envia foto de si mesmo portando a identificação documental, para garantir se tratar do mesmo sujeito que indica para o cadastro.

Já cadastrado e aprovado, o usuário recebe o cartão em casa em poucos dias, desbloqueia pelo próprio celular e já pode começar a usar. O vencimento da fatura ocorre de acordo com a data escolhida pelo cliente e pode ser paga online, inclusive pelo débito automático, ou mesmo em qualquer banco ou casa lotérica.

Novos recursos para opções tradicionais

Novo meio de pagamento, as pulseiras inteligentes com tecnologia de aproximação substituem cartões de crédito e já estão em funcionamento para algumas agências bancárias, o que inclui o Bradesco. A ferramenta à prova d’água funciona de modo pré-pago e prometem revolucionar as transações.

braço com pulseira inteligente e máquina de cartão de crédito

Pulseira inteligente com bandeira Visa

Outra proposta inovadora vem dos bancos que permitem saques e outras demandas financeiras por meio de QR Code, como já fazem, por exemplo, o Banco do Brasil, o Santander e o Sicoob. Dispensando o cartão, o usuário pode acessar o aplicativo referente a sua opção bancária, autorizar a transação e efetuar no caixa eletrônico por meio da leitura do código grafado na tela do smartphone.

Mais uma grande promessa já posta em prática, que permite aliar comodidade à segurança, é a de cartões de uso virtual com códigos de segurança dinâmicos, iniciados pelo sistema de “ot motion code“, de modo que evitem fraudes e clonagens em compras online.

Aplicativos com tecnologia de pagamento

Andar com dinheiro: ninguém merece. E ás vezes até com cartão fica difícil! Mas o que se pode garantir é o item que nunca falta na bolsa e no bolso: o celular. E para agregar o uso dele à possibilidade de pagamento, são vários os aplicativos lançados. O app nacional que ganha destaque nesses termos é o PicPay, que se assemelha ao internacional PayPal. O saldo nele presente pode ser transferido direto da conta do usuário cadastrado ou mesmo pode vir de um cartão vinculado à conta.

print screen de tela de celular mostrando como realizar compras pelo picpay

O funcionamento do aplicativo Pic Pay via QR Code

As possibilidades de lugares que aceitam estes aplicativos e softwares são tantas que já é possível até usar para pagar o parquímetro em Vitória, por exemplo, sem o incômodo de se dirigir à máquina e inserir moedas. Até a Google já embarcou nessa novidade: o Google Pay permite compras virtuais sem a necessidade de informar os dados para finalizar cada uma delas, bastando que o usuário deixe seus dados armazenados. É simples assim viver nos dias de hoje, desde que, é claro, existam fundos para pagar as contas!