#FaesaNoIntercom – Vale do Mulembá e Ilha do Lameirão: preservação e tradição 🏆

Desenvolvido pelo aluno Matheus Metzker, do terceiro período de Jornalismo, e orientado pela professora de fotojornalismo Zanete Dadalto, o trabalho “Vale do Mulembá e Ilha do Lameirão: preservação e tradição no ofício das paneleiras de Goiabeiras” foi um dos 14 selecionados da FAESA Centro Universitário para participar da Expocom.


Assim como muitos trabalhos selecionados o ensaio fotográfico de Matheus começou como uma atividade em sala de aula. A ideia de inscrever o exercício surgiu da própria professora, que enxergou nele grande potencial de ser exibido na  mostra. Zanete estava correta. O trabalho de Matheus não foi apenas indicado como também venceu na categoria de Produção em Fotojornalismo.

Categoria: Produção em Fotojornalismo (avulso/conjunto e série)
Vale do Mulembá e Ilha do Lameirão

A proposta da professora Zanete Dadalto era que os alunos produzissem um ensaio fotográfico sobre o seu tema de preferência usando os conhecimentos adquiridos durante o período. A escolha de Matheus foi em fotografar as Paneleiras de Goiabeiras, patrimônio cultural do Espírito Santo.

Mas o aluno foi além. Ele não apenas fotografou o momento de confecção das panelas de barro, que acontece na Associação das Paneleiras, como também todo o processo de fabricação. Durante o seu trabalho, Matheus acompanhou todos os estágios de produção das panelas, desde a retirada da matéria-prima até o momento final, quando as panelas já estão prontas e são expostas para a venda na Associação.

Imagem2

Imagem1O grande diferencial do trabalho foi explorar as diferentes etapas do processo de fabricação das panelas de barro. Para Matheus, a extração da matéria prima é tão importante quando o ofício das paneleiras.

Quis mostrar em meu trabalho o que as pessoas não conhecem, que a imprensa não mostra. Muitos falam sobre as panelas, mas a origem da matéria-prima é desconhecida para a maioria. O Vale do Mulambá e o Lameirão são fundamentais para que as panelas de barro existam e que as paneleiras continuem trabalhando. Sem o barro e o tanino o trabalho não perduraria e não seria mais possível a confecção das panelas de barro, algo que é tão característico de nossa cultura”, explica Matheus

Imagem3.jpg

De início, Matheus não imaginava que o seu trabalho pudesse concorrer em um evento como o Intercom. O aluno relata que gostou muito da atividade, mas que nunca passou pela cabeça dele a possibilidade de ir para o congresso. Sem o incentivo de Zanete e de outros professores da faculdade nada disso seria possível.

Eu sempre falo aos meus alunos para pensar além da obtenção de nota. Qualquer estudante tem o potencial de produzir um trabalho capaz de concorrer na Expocom, mas é preciso ter essa visão além da sala de aula. Nos preparemos nossos alunos para isso e o incentivamos sempre”, relata a professora.

WhatsApp Image 2018-06-12 at 11.06.52.jpeg
Matheus Metzker comemora a vitória

“A experiência apenas de ter participado do Expocom foi magnífica e única. O fato de ter ganho na categoria que eu concorria veio pra acrescentar ainda mais minha felicidade e entusiasmar para que novos desafios sejam cumpridos durante a minha trajetória acadêmica. Além disso, acredito fielmente que esse prêmio representa que todo esforço e cansaço são recompensados. É uma experiência que ficará marcada por toda vida! Lembrarei com orgulho de cada momento vivenciado pela busca de aprimoramento de conhecimento nas terras mineiras”

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: