Uma pitada francesa

Para quem acompanha a Copa do Mundo, o evento já está quase acabando. O campeonato, que traz 32 seleções dos quatro cantos do planeta, terá a final disputada no próximo domingo, ao meio-dia. Uma das classificadas é a França, que chega à terceira final da história da seleção após 12 anos longe dessa fase em Copas do Mundo.

Além do futebol de ótima qualidade que tem apresentado ao longo do último mês, os franceses também são conhecidos por ter pontos turísticos muito famosos, como a Torre Eiffel e o Museu do Louvre. É nesse museu que está o quadro da Monalisa, pintado por Leonardo da Vinci, e que recentemente foi fechado para que a Família Carter (Beyoncé e Jay-Z) gravasse um clipe.

Mas não é só de futebol ou apenas de pontos turísticos que a França é feita. Veja alguns detalhes importantes sobre o primeiro país a chegar à final da Copa do Mundo na Rússia.

Dados franceses
frança

A República Francesa (ou apenas França) está localizada na Europa e chegou a ter o segundo maior império da história da humanidade, quando tinha vários territórios conquistados em outros continentes (como na América do Norte e África). Hoje, faz fronteira com os seguintes países: Itália, Bélgica, Luxemburgo, Alemanha, Suíça, Espanha e com as micronações de Mônaco e Andorra. Na União Europeia, é o maior país e, em relação ao território, é a terceira maior nação do continente.

Como mostra a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, a França é um país laico, democrático e indivisível. Atualmente, com a luta dos imigrantes por um espaço na Europa para melhorar a vida, os franceses são apenas uma parte que não aceita tantos imigrantes quanto deveriam. Isso tem mexido com a política do país, que é liderado pelo presidente Emmanuel Macron, eleito em 2017. E, mesmo sendo uma nação laica, como o Brasil, o catolicismo romano é a religião predominante na França há séculos. Pode não ser mais tão praticante como antes, mas ainda é a religião que se destaca no país.

O país francês já passou pela liderança de vários reinos diferentes, começando a se tornar uma república em 1789 com a Queda da Bastilha, e já passou por várias revoluções também. A mais famosa e que mais influenciou na mudança da nação foi a Revolução Francesa, época em que foi criada a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão. Nela, a liberdade de expressão e imprensa foi criada e nasceu também o lema da França: liberdade, igualdade e fraternidade, remetendo à liberdade e igualdade entre os homens e seus direitos.

Mas, mesmo com questões tão importantes e polêmicas como a dos imigrantes, a França tem com o que se orgulhar: é um dos países mais desenvolvidos do mundo (é um país de primeiro mundo), tem a quinta maior economia do planeta, tem um alto padrão de vida, uma taxa elevadíssima de escolaridade pública, expectativa de vida alta, melhor provedor de saúde segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) e é o país que mais recebe turistas estrangeiros por ano.

Turismo francês

A França é o país mais visitado do mundo graças aos pontos turísticos belíssimos que tem, sem contar na culinária e na arquitetura da nação. Um dos lugares mais procurados em Paris é a Torre Eiffel, plano de fundo para várias cenas românticas de pedidos de casamento, assim como um belo cenário para piqueniques ao ar livre. A torre, construída como arco de entrada para a Exposição Universal de 1889, já foi o prédio mais alto do mundo, mas um edifício em Nova York tomou o título, e possui o nome do projetista, Gustave Eiffel.

Além da torre, muitos turistas escolhem Paris por causa da musa de Leonardo da Vinci, Monalisa. O quadro fica no Museu do Louvre, conhecido mundialmente pela sua pirâmide de viddo e por ser o maior museu de arte do mundo. Quando foi inaugurado, em 1793, possuía quase 600 obras da realeza ou de propriedades confiscadas da Igreja. Napoleão foi o primeiro a completar a coleção do museu, sendo que mais obras passaram a fazer parte do acervo do museu durante os reinados de Luís XVIII e Carlos X.

O espaço onde o museu fica é conhecido como Palácio do Louvre, fortaleza durante o reinado de Filipe II. O palácio já chegou a ser a residência principal dos reis franceses, mas foi Luís XVIII quem o deixou para abrigar as obras de arte reais. Hoje, o Museu do Louvre já tem mais de 20 mil obras de arte, que são organizadas em oito departamentos: antiguidades egípcias; antiguidades do Oriente Médio; antiguidades gregas, etruscas e romanas; arte islâmica; escultura; artes decorativas; pinturas; impressões e desenhos.

Outro ponto turístico que chama a atenção dos turistas é o Arco do Triunfo. Também localizado em Paris, Napoleão mandou construir o arco em comemoração às vitórias militares dele no comando do país francês em 1806. 30 anos depois, o monumento foi inaugurado e pode-se encontrar gravados nele os nomes das 128 batalhas e dos 558 generais que batalharam em nome de Napoleão Bonaparte. No interior dos arcos, estão gravados também os diferentes lugares em que foram travadas batalhas a favor do expansionismo francês.

eixo histórico.jpg

O Arco do Triunfo faz parte do Eixo Histórico, que, a pedido do rei Henrique IV, segue de Paris até oeste do país, em uma linha de monumentos, edifícios e avenidas da cidade que vão até o Castelo de Saint-Germain. O eixo já teve construções demolidas, como o Palácio de Tulherias, e só tomou a forma que tem atualmente no século XIX, com mudanças durante o Primeiro Império na França.

Além desses monumentos, a França também conta com a Catedral de Notre Dame, o Palácio de Versalhes (em Versalhes), Castelo de Chambord (em Chambord), Catedral de Estrasburgo (em Estrasburgo), a Catedral de Notre Dame de La Garde (em Marselha), Garganta Verdon (nos Alpes de Haute Provence) e a Costa Azul (ou Riviera Francesa).

Em ordem: Castelo de Chambord, Catedral de Estrasburgo, Catedral de Notre Dame de La Garde, Catedral de Notre Dame, Gargante Verdon, Palácio de Versalhes e Riviera Francesa.

Vale lembrar que a França também possui um parque temático da Disney. A Disneyland Paris é o mais popular do país e da Europa, contando mais de 15 mil visitantes por ano.

Economia

Os franceses fazem parte do G8, grupo com os oitos países com as maiores economias do mundo. Ocupam a quinta posição em comparação com outras nações e é a segunda maior economia da Europa. Isso se dá porque a França é uma grande motivadora do mercado automobilístico (é só se lembrar do GP de Mônaco, da Fórmula 1), além de ter uma indústria aeroespacial e um espaçoporto próprio!

A França é uma das nações que mais exporta e importa produtos manufaturados do planeta. As empresas francesas são grandes investidoras em outros países também. Grande parte da economia do país vem de serviços financeiros, bancários e serviços de seguros.

Culinária francesa

A França é um país que tem sol e chuva nos tempos adequados, sem sofrer muito com a falta de nenhum dos dois, e, durante o inverno, tem a presença de neve, o que favorece os esportes de inverno. Graças ao clima da nação, vários são os alimentos que podem ser cultivados em diferentes locais, dependendo de onde é mais propício cultivá-los.

A imagem francesa ao redor do mundo é recheada de queijos, vinhos e doces. Regiões da França possuem suas diferenças, claro: enquanto no noroeste do país se usa manteiga, a população do sudeste refere utilizar azeite nas receitas. É da França que o croissant é mundialmente conhecido, assim como o baguette. Os franceses também frisam a importância de ser ter refeições completas, com entrada, prato principal e sobremesa, o que o brasileiro não dá tanta importância como eles.

Os franceses dividem a culinária deles em categorias. A chamada Cozinha Burguesa é tudo aquilo relacionado à Alta Cozinha, mundialmente conhecida. A Cuisine du Terroir é o termo utilizado para a cozinha regional de cada pedacinho da França, com produtos de alta qualidade e da tradição camponesa. Já a Nouvelle Cuisine é a comida rápida, feita em pouco tempo e com ingredientes mais leves, formada em contradição à tradicional.

A França é também a casa do criador do Guia Michelin, guia turístico produzido por André Michelin para promover o mercado automobilístico, muito frequente na França. As estrelas Michelin são referências para muitos amantes da gastronomia, que observam e escolhem restaurantes com as renomadas estrelas Michelin para provar algumas delícias francesas.

Alguns pratos típicos dos franceses:

 – Coq au vin – galo ou capão cozido no vinho tinto
Escargort – caracóis
Macaron – biscoito crocante por fora e macio por dentro
Crème brûlée – creme confeccionado em forno, geralmente em banho maria
Crêpes – panquecas finas

Cultura francesa

Só pelos tópicos acima dá para ter cada vez mais certeza de que a França é um país incrível de se conhecer. Mas, conhecendo um pouco mais sobre a cultura francesa, essa nação europeia se torna ainda mais convidativa. Os regimes políticos que dominaram o território francês sempre promoveram a cultura no país e a criação do Ministério da Cultura em 1959 garantiu que a preservação do patrimônio cultural. A UNESCO, por exemplo, possui 37 locais franceses inscritos como Patrimônios Mundiais.

Além disso, as diferentes manifestações artísticas durante os séculos passados, até hoje, resultaram em muitas obras de artes belas e de origem francesa. Esculturas, pinturas e tantas criações de artistas da França são conhecidos como Belas Artes e estão expostas em muitos museus pelo país.

Mas não é só de obra de arte que é feita a cultura da França. Na literatura, um dos nomes mais conhecidos mundialmente é o de Jean de La Fontaine, criador de inúmeras fábulas que fizeram parte da infância de muitas pessoas ao redor do mundo (se lembra da história da Cigarra e a Formiga? É dele!). É da literatura francesa também a primeira enciclopédia editada, em 1772, que teve colaboração de filósofos como Voltaire e Rousseau.

Alguns contos de fadas infantis também vieram de escritores franceses. É o caso de O Gato de Botas e A Bela Adormecida, por exemplo, criados por Charles Perrault no século XIX. Victor Hugo é conhecido como o maior escritor francês de todos os tempos por se destacar em todos os gêneros literários. E um livro muito conhecido, que foi adaptado para as telas do cinema recentemente, também faz parte do acervo literário francês: O Pequeno Príncipe, de Antoine de Saint Exupéry.

Outro item que compõe a cultura da França é a música, em que o canto gregoriano é destaque desde antes do ano 1000. Com o passar dos anos, muitos gêneros musicais foram criados e incorporados à cultura do país, como a criação da dupla Daft Punk. No que diz respeito à França, a dupla é pioneira no estilo french house.

A França também é um país que abriga um dos festivais de cinema mais importantes do mundo, o Festival de Cannes. Todos os anos, artistas de todos os cantos do planeta vão até a Riviera Francesa, onde fica Cannes, e prestigiam filmes que concorrem a várias categorias do festival. Recentemente, o longa brasileiro Aquarius foi uma das indicações no evento e artistas como a atriz protagonista, Sônia Braga, foram até Cannes.

Actress Sonia Braga poses on the red carpet as she arrives for the screening of the film "Elle" in competition at the 69th Cannes Film Festival in Cannes
Atriz Sônia Braga em Cannes

Mas a ligação da França com o cinema é muito maior que sediar um dos maiores festivais já vistos: os dois inventores do cinema mundial são franceses. Isso mesmo. Auguste e Louis Lumière criaram essa nova modalidade artística em 1895. E, apesar de Hollywood ser a casa do cinema mundial, os franceses são um dos principais defensores da cultura no mundo inteiro.

A mídia francesa é uma das mais acompanhadas fora da fronteira. O Le Parisien é o jornal mais lido da França, com mais de 450 mil cópias vendidas diariamente! O jornal Metro, frequente aqui no Brasil, também tem grande circulação por lá, sendo cerca de 600 mil cópias distribuídas.

Conhecida por ser, também, país da moda (quem não lembra da Paris Fashion Week?), é da França as revistas Marie Clare e Elle, por exemplo, grandes nomes no mundo da moda. Muitos pensam que a Vogue também é francesa, mas é uma revista estadunidense.

Problemas

Como nem tudo são rosas, além das questões da imigração, que ainda não são bem vistas na Europa, a França foi alvo recente de ataques terroristas. Há apenas três anos, Paris ficou debaixo de todos os holofotes quando três explosões e uma série de fuzilamentos aconteceram em uma noite calma de novembro.

O ataque foi reivindicado pelo Estado Islâmico na época e o Teatro Bataclan foi o ponto da cidade onde tudo foi mais complicado: reféns foram feitos e mais de 80 pessoas foram mortas brutalmente lá dentro. Uma tragédia sentida pelo mundo inteiro. Atualmente, o país aumentou a segurança em toda a fronteira, e ainda trabalha para melhorar o conforto e esses problemas de invasão no território, tendo certa influência na questão dos imigrantes que vêm fugidos de outros continentes, principalmente da África.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: