Fátima: a nova ferramenta do Twitter contra as Fake News

Com o avanço das Fake News nas redes sociais, cada vez mais agências de Jornalismo e Publicidade e Propaganda criam sistemas que checam a veracidade das info. Uma dessas agências é a Aos Fatos, que tem “base no Rio de Janeiro e em São Paulo e é mantida por uma rede de profissionais multidisciplinares e multitarefas”, como diz no site deles, que checam as notícias para saber quais são verdadeiras e quais não são.

Pensando em tantos usuários que caem nas notícias falsas e não sabem, eles criaram uma nova ferramenta para o Twitter. A robô, chamada Fátima, já estava sendo testada desde o mês passado e se tornou oficial na rede social na última quarta-feira, dia 18. A intenção é que Fátima atue durante o período eleitoral brasileiro, já que as propagandas eleitorais na televisão e no rádio começam no final do próximo mês e vão até o dia quatro de outubro. O primeiro turno das eleições é no dia sete de outubro e o segundo turno será no dia 28 de outubro.

O projeto Fátima é apoiado pelo Google News Lab e foi idealizado pelo jornalista Pedro Burgos, ICFJ Knight Fellow (Centro Internacional para Jornalistas) e fundador do Impacto.jor. A robô só conseguiu ser desenvolvida graças a uma premiação do Projeto ReVer (Rede da Verdade), patrocinado pelo site Catraca Livre em parceria com o Instituto SEB de Educação e apoio da Microsoft.

Funciona assim: a Fátima sincroniza um banco de notícias falsos ou distorcidas que já foram checadas pela equipe do Aos Fatos e faz uma busca no Twitter a cada 15 minutos para descobrir links com informações falsas ou distorcidas. Quando a robô encontra perfis que compartilharam notícias falsas ou com informações distorcidas, ela envia uma resposta para esse perfil com um novo link para a notícia verdadeira: a checagem do Aos Fatos.

Quando notícias falsas são encontradas pela robô, os dados daquele tweet são gravados em um banco de dados. A partir daí, o sistema identifica quantas pessoas compartilharam o link com as informações falsas ou distorcidas e quantos cliques a matéria com tais informações teve. A robô leva em consideração os perfis no Twitter que possuem mais seguidores para divulgar a matéria com os dados verdadeiros.

Mesmo enquanto ainda estava apenas em teste, Fátima já teve resultados positivos. Em um período de um mês, a robô conseguiu encontrar mais de 850 links compartilhados com notícias falsas ou distorcidas e transmitiu quase 500 tweets de alerta. Dos que receberam tais alerta, pelo menos 30 usuários deletaram o link errado.

Para os próximos meses, o objetivo do Aos Fatos é aumentar a capacidade de distribuição de Fátima, ou seja, a proposta é que a agência faça mais checagens de notícias falsas/distorcidas, principalmente de assuntos muito comentados atualmente nas redes sociais, como o Twitter e o Facebook, para que a robô possa identificar nas redes sociais. Outra ideia é que Fátima possa detectar tweets de políticos que aumentam números de projetos da campanha deles, por exemplo, o que já é feito pela Agência Aos Fatos.

Veja mais notícias sobre Fake News no Faesa Digital:

Aprenda a lidar com as Fake News
Justiça Eleitoral combate a propagação das Fake News em meio às Eleições 2018
Sociedade é manipulada pela disseminação de Fake News
Facebook apoia projetos brasileiros contra as Fake News
Fake News: você verifica as fontes das notícias que lê?
Jornalismo profissional no combate às Fake News
Radiação – Fake News
Fake News: Ética e Credibilidade no Jornalismo – Artigo apresentado no Intercom Nacional 2016

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: