Filmes para quem gosta de rock

Música e cinema tem tudo a ver. Hoje, é quase impossível encontrar um filme que não venha acompanhado de músicas ou de uma boa trilha sonora, mas alguns vão além, e investem bastante nesse aspecto. Não estamos falando apenas de musicais, mas sim de filmes onde o tema central é o rock e tudo no filme gira em torno dele.

Para animar as suas férias com muita música selecionados alguns filmes onde o rock é o personagem principal. Confira!

1 – Quase Famosos
Almost Famous, EUA, 2000

almost-famous-20-1200-1200-675-675-crop-000000 (1)
William Miller com a banda fictícia Stillwater e as garotas que acompanhavam o grupo

Quem é que nunca quis ser um jornalista musical? Em acompanhar a turnê de sua banda favorita, entrevistar os músicos, cobrir os shows e conhecer gente nova durante a viagem? Essa é a história de Quase Famosos, dirigido por Cameron Crowe. Na trama, William Miller é um adolescente de 15 anos que ama rock and roll e sonha em ser jornalista.

Almost-Famous-300x445

O garoto escreve para uma revista de sua cidade até que os seus artigos chamam atenção de um do seus ídolos, o jornalista musical Lester Bangs, interpretado por Phillip Seymour Hoffman. Depois de escrever para Bangs, o menino recebe uma proposta ainda maior: acompanhar a turnê de uma banda em ascensão e escrever uma matéria sobre ela. Com isso, William Miller parte com o Stillwater, banda fictícia criada para o filme, em uma van com os músicos, produtores, roadies e groupies. Durante a viagem, Miller acaba se aproximando bastante de todas pessoas e se envolvendo nos conflitos da banda.

Quase Famosos é um filme semi autobiográfico. A história retratada nas telas aconteceu com o próprio Crowe, diretor e roteirista do filme. Na década de 1970, auge do rock and roll, o então adolescente Crowe foi realmente chamado pelo editor da Rolling Stone para acompanhar a turnê de uma banda e escrever uma matéria sobre ela. Na vida real, a banda é o Led Zeppelin, que acabou inspirando a banda retratada no filme. Muitos dos personagens e eventos do filme foram baseados em pessoas e situações reais, como Penny Lane, vivida pela atriz Kate Hudson – em seu primeiro papel de destaque e que foi inspirada em groupies famosas. Lester Bangs também existiu, sendo considerado por muitos um dos mais influentes jornalistas musicais de todos os tempos.

De forma sensível e única, o diretor consegue captar toda a energia do que foram os anos 70. A trilha sonora, obviamente, é cheia de clássicos de grandes nomes da década de 1960 e 1970 como David Bowie, Simon & Garfunkel e The Who.

 

2 –  Alta Fidelidade
High Fidelity, 2000

4960946.png
Johh Cusack é Rob Gordon, um homem que desconta suas frustrações em discos de vinil e soberba musical

Rob Gordon, vivido pelo ator John Cusack, é uma amante da música que mantem com seus amigos uma loja de disco de vinil. Egocêntrico, pedante e chato, Gordon tem o costume de diminuir e menosprezar as pessoas, inclusive os clientes de sua loja, pelo gosto musical mainstream e inferior aquilo que ele considera sofisticado e de qualidade.

high_fidelity.jpgA vida de Gordon muda totalmente quando sua namorada decide terminar o relacionamento e ir embora de casa. Sem entender o motivo, o protagonista decide ir atrás das cinco mulheres que quebraram o seu coração para compreender por que razão a sua vida é um fracassos em todos os aspectos. A música é o que liga todo o filme. Além da ótima trilha sonora, que inclui Velvet Underground e Bob Dylan, há diversas referências e reflexões sobre o que é a música e o seu impacto nas relações pessoais e na sociedade.

Um dos pontos fortes de Alta Fidelidade é o seu humor ácido e sarcástico, típicos do humor britânico. Apesar da trama ser ambientada em uma cidade dos EUA, o filme é baseado na obra de mesmo nome do autor inglês Nick Horby, que já escreveu livros e roteiros sobre música. O ator e roqueiro Jack Back também está no elenco, atuando como um dos insuportáveis e elitistas amigos que trabalham na loja de vinil de Gordon.

3 – Escola de Rock
School of Rock, 2003

metalclassroom.jpg
Jack Black ensinando as diferentes vertentes do rock

Dirigido por Richard Linklater, Escola de Rock é uma verdadeira homenagem a história do rock’n’roll. A trama gira em torno de Dewey Finn, interpretado por Jack Black, um músico frustrado que foi expulso de sua banda, está desempregado e ainda mora de favor na casa de seu melhor amigo. Sem saber o que fazer e precisando de dinheiro, Finn decide se passar por Ned Schneebly, amigo com quem divide o apartamento, e aceitar um emprego no lugar dele. Dewey Finn começa a trabalhar então como professor substituto em uma escola particular conservadora e muito tradicional.

51v8TQDTF-L.jpgSem que ninguém perceba, Finn consegue lecionar na escola e decide mudar um pouco a metodologia de ensino que é dado às crianças. O “professor” fica impressionado com as habilidades musicais dos alunos e passa a ensinar rock a eles, com a promessa de que estão participando de um projeto acadêmico.  De início, as crianças da escola estranham o comportamento do suposto professor, mas com o tempo acabam se apaixonado por rock e entrando de cabeça nesse universo.

Escola de Rock é uma releitura do clássico Sociedade dos Poetas Mortos. Mostra um professor com ideias revolucionárias e progressistas tentando expandir a mente e abrir os horizontes de alunos em um ambiente rígido e conservador. Outra referência é ao sucesso Another Brick in the Wall, do conjunto inglês Pink Floyd. A música é uma crítica as normas do sistema de ensino e a tentativa dos alunos de se rebelarem contra ele para conquistarem sua própria identidade. O rock, no geral, sempre esteve ligado ao sentimento de rebeldia e contestação.  E um dos temas centrais de Escola de Rock é retratar o espírito revolucionário da música e mostrar as crianças que o rock vai muito além de “sexo e drogas”.

Richard Linklater é um amante confesso da música e sempre busca trazer referências musicais em seus longas. O diretor é mais conhecido por produções independentes como a aclamada trilogia Before e o premiado Boyhood, todos com diálogos profundos e planos longos, mas em Escola de Rock apostou em clichês hollywoodianos para fazer um filme voltado ao público infanto-juvenil, mas que agradasse também o público num geral, a crítica e ensinasse o que de fato é o rock.

Em 2016, o filme ganhou uma versão para a televisão com o próprio Linklater como um dos produtores. A série foi exibida pelo canal Nickleodeon e durou três temporadas, sendo encerrada este ano.

4 – Os Piratas do Rock
The Boat that Rocked, 2009

still-of-will-adamsdale-and-bill-nighy-in-the-boat-that-rocked-2009-1038x576
Os personagens ouvem e dançam rock and roll em alto mar

O ano é 1966 e o rock vive seu auge na Inglaterra. A BBC, principal rádio do país, no entanto, toca apenas duas hora de rock por dia e a conservadora sociedade britânica ainda não enxerga as transformações musicais com bons olhos. Já no início do filme, somos apresentados a um grupo de amigos que transmitem de um navio de pesca, atracado na costa da Inglaterra, uma rádio que só toca o melhor da música pop e rock. A estação pirata é um enorme sucesso na terra da rainha e tem cerca de 25 milhões de ouvintes, mais que a metade da população do país.

Os-Piratas-do-Rock-2009A história começa quando Carl, um garoto de 17 anos que acabou de ser expulso da escola, é enviado para o navio para ficar com o seu padrinho Quentin, interpretado por Bill Nighy, um dos djs que comandam a música tocada pela rádio. Com uma boa dose de humor e muita música, a trama acompanha o dia o dia da trupe que reside no barco e mostra os seus problemas com a justiça britânica.

Uma verdadeira aula de música, a trilha sonora de Os Piratas do Rock traz grandes bandas que fizeram parte da “invansão britânica” como The Kinks, The Yardbirds.
O filme é dirigido por Richard Curtis, um dos grandes nomes do humor britânico conhecido por comédias como Quatro Casamentos e um Funeral e Mr. Bean. O elenco conta também com grandes nomes como Rhys Ifans e Philip Seymour Hoffmann.

 

 

5 – Sing Street: Sonho e Música
Sing Street, 2016

1_KswaLLvl2txCQ1PUHSA62g.jpeg
Conor e sua banda

A Dublin dos anos 80 é retratada pelos olhos de Conor, um adolescente de apenas 14 anos que está passando por um momento difícil de sua vida, os seus pais estão em processo de divórcio e diante de uma crise econômica que assola o país o menino muda de uma escola particular para um colégio público mantido por padres católicos. A mudança de colégio no entanto faz com que ele conheça Raphina, uma garota mais velha e que sonha em ser modelo. Para impressioná-la, o adolescente a convida para estrelar o clipe de sua banda, e ela acaba aceitando. O problema é que ele não tem uma banda. Para não perder a chance de conquistar Raphina, Conor, que agora assume o alterego de Cosmo, recruta garotos de sua escola para formar um grupo musical, batizado de Sing Street.

51YxAdDeV2LJá no início da trama é perceptível a paixão de Cosmo pela música. Para tentar fugir dos problemas familiares, o garoto escreve e compões canções sobre os assuntos que mais o afligem. Como Cosmo, o jovem cria músicas destinado a garota de seus sonhos, que acaba ficando encantada com a forma ingenua que o garoto enxerga o mundo.

A música é o grande catalizador da vida dos personagens do filme, o que faz com que eles amadureçam e se desenvolvam e com eles tenham esperanças por uma vida e um país melhor. No decorrer do filme, a banda de Cosmo experimenta diferentes visuais e estilos musicais dos anos 80 e conforme as músicas do grupo vão se aperfeiçoando e ganhando uma identidade própria os personagem passam pelo mesmo processo. Além das músicas da banda de Cosmo, o filme conta ainda com uma trilha sonora recheada de sucessos dos anos 80 como The Cure, The Clash e A-Ha.

O irlandês John Carney, diretor do filme, já havia explorado o universo musical anteriormente. Sing Street é o último filme de uma trilogia formada por Apenas Uma Vez e Mesmo Se Nada Der Certo. Assimo como eu seu trabalho mais atual os longas anteriores tem o mesmo ponto de partida: a música!

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: