Provavelmente você está lendo esse texto de um celular, tablet, computador ou outras opções possíveis com conexões à internet. A baratização da tecnologia popularizou o acesso à informação e, consequentemente, às redes sociais digitais.

Porém, muita gente usa a rede social para, de certa forma, esconder quem realmente é, por ter medo de não ser aceito em grupos, o que gera desconforto, pois segundo a psicóloga Laís Sudré Campos, essa atitude é grave.

sahduahsd.jpgPode ser prejudicial tanto pra ela quanto para seus seguidores. Isso pode gerar algumas consequências negativas, tanto pra pessoa quanto para quem está olhando para essa pessoa, porque dá uma sensação que muitas vezes não é verdadeira. Na era da exposição, as pessoas costumam mostrar as coisas boas e não as ruins, então, para quem está olhando de fora , é como se todo mundo estivesse vivendo uma vida maravilhosa, enquanto a gente sabe que a nossa não é sempre assim”, afirma a psicóloga.

PANÓPTICO

Pan-óptico é um termo utilizado para designar uma penitenciária ideal, concebida pelo filósofo e jurista inglês Jeremy Bentham, em 1785, que permite a um único vigilante observar todos os prisioneiros, sem que estes possam saber se estão ou não sendo observados. O medo e o receio de não saberem se estão sendo observados leva-os a adotar o comportamento desejado pelo vigilante.

Panóptico

Michel Foucault, na obra Vigiar e Punir, frisou a importância do panóptico como ferramenta de poder quando dizia: “quanto maior o número de informações em relação aos indivíduos, maior a possibilidade de controle de comportamento desses indivíduos”.

Somos vigiados. Não só pelo governo…

E em redes sociais, como o Facebook, não muda muita coisa; o que muda é o contexto, mas a ideia é a mesma. Lá, a maioria dos usuários, mesmo sem saber quem está vendo sua foto, postam diversas informações, vídeos e mensagens positivas, a fim de uma aceitação social.

Quando postamos uma foto, será que essa imagem pode nos ajudar ou prejudicar? Estamos em um tempo em que existe uma vontade interna em que tudo precisa ser mostrado e comentado. Esta é a “era da exposição”, do Panóptico social: somos vigiados por nossos próprios amigos, o tempo, todo.

qweweqweqw.jpg“O Panóptico social não está presente só nas redes sociais, mas na nossa sociedade como um todo. Imagina-se que as pessoas estão olhando, então você não posta qualquer coisa por conta disso. Não postamos coisas tristes ou trazendo algo muito pessoal a não ser que isso te traga uma certa atenção”, disse a professora Laís.

Temos a liberdade de escrever e falar o que bem desejarmos nas redes sociais, desde que sejam respeitados os direitos humanos. Liberdade de expressão não é ferir nem ofender o outro. Gosto não se discute, muito menos cultura, e infelizmente as pessoas insistem em opinar sobre a vida, religião, orientação sexual e gosto musical alheio.

Choque Cultural

Refere-se à ansiedade e sentimentos (de surpresa, desorientação, incerteza, confusão mental, etc) quando uma pessoa tem de conviver dentro de uma diferente e desconhecida cultura ou ambiente social.  

A partir daí, criam-se barreiras para assimilar a nova cultura, causando dificuldades em saber o que é adequado e o que não é. Muitas vezes combinada com uma aversão ou mesmo nojo (moral ou estético) a certos aspectos da nova cultura.

Com o desenvolvimento da tecnologia, coisas novas e diferentes são lançadas a todo momento. E com a queda de preço, a tecnologia alcança outras classes, não tão valorizadas, trazendo consigo toda sua cultura para o meio tecnológico e para as redes sociais.

dhuashdasd.png“Entendo que o contato de culturas diferentes nas redes sociais sempre é positivo. Por mais que uma seja resistente, ela sempre influencia e é influenciada pela outra. Acredito que é sempre benéfico o encontro entre duas culturas porque uma acaba aprendendo com a outra. É importante que façamos o exercício da alteridade de se acolher o outro, aprender com o outro que é diferente de você”, disse o doutor de estudos sócio-políticos do Brasil e Espírito Santo Antônio Alves de Almeida.

O perigo ao se expor

Por outro lado, a exposição em redes sociais é perigosa, podendo chamar atenção de pessoas mal intencionadas, que ficam de olho em nossa vida social, a fim de nos prejudicar de alguma forma e tentar uma aproximação não desejada.

Como no caso de um homem esfaqueado em sua casa de luxo, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Após marcar encontro com uma mulher, através do Tinder, o mesmo foi atacado e teve o seu corpo perfurado diversas vezes. A mulher com quem a vítima marcou encontro estava com um comparsa em seu porta-malas e, dos pertences, várias joias foram roubadas. Portanto, vamos tomar cuidado com os matches (combinações do aplicativo) e com o que postamos sobre nossa vida pessoal na rede.

ashdsdadasdas.jpg“A partir do momento em que você se expõe nas redes sociais, você já está correndo algum risco. Por mais que você selecione as pessoas, nunca sabe exatamente quem está do outro lado de fato e até que ponto essa pessoa vai se relacionar com você direta ou indiretamente”, explicou o professor.

Posted by:Saulo Aurélio Ribeiro Miranda

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s