Os aprendizados da Maratona Sebrae

“Passamos por todas as etapas de desenvolvimento de uma ideia de negócio até que ela fosse colocada no mercado” – Henrique Hamerski, um dos organizadores da Maratona Sebrae.

Durante a 17ª Jornada Científica e Cultural da FAESA foi realizada a Maratona Sebrae, uma competição de ideias inovadoras que possui como objetivo impulsionar a busca de soluções viáveis para o enfrentamento de problemas sociais. 

Ela é baseada em um método desenvolvido pelo professor pernambucano Rafael Demétrius Rodrigues de Sousa. Os alunos inscritos tiveram a oportunidade de aprender a empreender de forma criativa e didática, junto com a possibilidade de ganhar um prêmio final no valor de mil reais.

A Jornada, que teve como tema central o empreendedorismo e a inovação, fez jus ao que propusera e tornou o Centro de Vivência da FAESA uma verdadeira área de reflexão. Os alunos inscritos tiveram que desenvolver ideias sustentáveis, soluções para problemas e descobrir caminhos para abrir uma microempresa.

Aluno participante durante a Maratona Sebrae.
Aluno participante durante a Maratona Sebrae / Foto: Equipe ComunicaLab

A Maratona teve quatro encontros  de três horas cada, totalizando o evento com uma carga horária de 12 horas. Como forma de organização, os participantes tiveram que se estruturar em equipes. A orientação e acompanhamento foram feitos pelo professor Henrique Hamerski e pelos profissionais do Sebrae Anderson Charles Andrade, Fernanda Carvalho e Renato Neves Farias.

O primeiro encontro buscou o desenvolvimento dos participantes em relação à “capacidade de percepção, habilidade de observação e de geração de ideias inovadoras“. Atividades voltadas para esses assuntos foram realizadas, além da construção de um Mapa Mental e explicações sobre o Design Thinking.

O segundo dia foi voltado para a experimentação de protótipos, proporcionando aos participantes o desenvolvimento da capacidade cognitiva, atitudinal e operacional.

A experimentação de uma ideia pronta, para em seguida ser moldada e refinada foi o foco do terceiro encontro. Depois do processo de aprendizado e desenvolvimento, os alunos concluíram a Maratona com as apresentações dos projetos produzidos para um grupo de jurados  envolvidos com o empreendedorismo, e estes escolheram os vencedores de tal etapa.

O professor Henrique Hamerski contou um pouco do planejamento dos quatro dias:

“Tivemos vários mentores, professores que orientavam os alunos com relação ao uso do método, das ferramentas. De acordo com a evolução, os alunos eram pontuados, e junto com a apresentação feita por uma banca externa selecionamos os os vencedores. Diversos critérios foram levados em consideração: o uso da ferramenta, a viabilidade técnica do negócio, a aplicação no mercado, a identificação  da oportunidade, a apresentação e a clareza com que os alunos puseram as ideias”, ele disse.

De acordo com Henrique, a Maratona criou um clima de “querer fazer mais, de ir além”, o que resultou em projetos muito legais. “Várias ideias boas surgiram, e inclusive, estamos levando a dos vencedores  para uma consultoria para que seja tocada para a frente”, falou.

A aluna do 6º período de jornalismo Bárbara Caldeiras foi uma das participantes da Maratona, e também, uma das ganhadoras. Ela, junto com os alunos do 2º período de publicidade Ana Luiza Vilaschi e Victor Sales, montaram um projeto voltado para a facilitar a locomoção de pessoas que possuem alguma deficiência auditiva.

A estudante, que participou do evento primeiramente com a função de o cobrir —para relatar a experiência como participante — confessou não ter tido expectativas no início, porém, com o decorrer das etapas, percebeu que tudo havia mudado para um lado positivo. “No primeiro dia não criei muita expectativa, o meu grupo tinha objetivos e ideias muito diferentes, mas com o desenrolar da Maratona fui vendo que nossas ideias eram boas. No último dia, antes mesmo da apresentação, já tive certeza que a nossa ideia era sensacional”, contou.

Em relação ao aprendizado adquirido durante o evento, Bárbara disse ser impossível listar tudo:

“Além de técnicas incríveis de desenvolvimento de um negócio ou ideia, pude perceber que problemas cotidianos podem sim ser resolvidos por pessoas simples, basta um bom planejamento e muita pesquisa, que a situação toda se desenvolve. Sem contar a experiência inesquecível de entender um pouco do mundo empreendedor que eu tinha um preconceito enorme”

A estudante de Jornalismo do 4º período Isabella Arruda, gostou bastante da experiência e foi participante da equipe que ganhou o segundo lugar. Ela, que é proprietária do blog de gastronomia @hiperglicemia, afirmou ter aprendido ainda mais sobre empreender:

“Eu já empreendo de alguma forma e essa foi uma oportunidade muito grande de perceber em como colocar isso no papel e desenvolver de um jeito mais planejado, desde o início. Agora tenho uma noção de montar um plano passo a passo, fazer detalhadamente. E eu acho que tem muito mais chance de dar certo” — Isabella Arruda.

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: