Alunos do curso de Jornalismo organizam evento sobre a imigração e o refúgio

“É de extrema importância que alunos de Comunicação compreendam o papel dos meios de comunicação e de cada profissional neste cenário. E mais além: é essencial que cada estudante reflita sobre o que pode ser feito para minimizar este problema.” – Ana Meneguelli

Na manhã do dia 17 de outubro foi realizado o evento Imigrantes e Refugiados no século XXI: desafios e possibilidades, que foi idealizado pela professora de Estudos Contemporâneos do Jornalismo Ana Meneguelli em parceria com o professor de Humanidades Antônio Alves. Os alunos dos cursos de Jornalismo e de Publicidade e Propaganda tiveram a oportunidade de saber mais sobre o assunto. O encontro contou ainda com as participações especiais do coordenador do Centro de Apoio e Pastoral do Imigrante (CAMI), Roque Patussi, e de uma das integrantes da equipe de coordenação do CAMI, Carla Aparecida Aguilar, por meio de uma conexão pelo Skype. O publicitário Ramon Luz também contribuiu com a discussão enviando um vídeo direto da Alemanha.

O evento foi conduzido pelos apresentadores Isabela Arruda e Edson Schultz, alunos de jornalismo do 4º período. Na apresentação inicial, o professor Antônio falou sobre o refúgio e conceituou o termo. Em seguida houve uma apresentação realizada por alunas de jornalismo que cantaram a canção cubana Guantanamera, na versão da cantora Celia Cruz, em homenagem ao povo de Cuba, que tem um grande contingente de refugiados.

Durante o evento a Isabela Arruda recitou os poemas La Poesía e La Vida do autor venezuelano Eugenio Montejo, sendo uma homenagem aos indivíduos desse país.

La Poesia Eugenio Montejo La Vida de Eugênio Montejo

Os convidados Roque Patussi e Carla Aparecida Aguilar criaram um debate cheio de informações importantes sobre o assunto. A reflexão “aonde você mora?” foi lançada por eles e que acabou encontrando uma resposta muito simples: no planeta Terra. Naturalmente ele não tem barreiras, então por que o homem insiste em construir muros? A xenofobia também foi questionada durante o evento.

A participação do publicitário Ramon Luz foi especial. Ele atualmente mora na Alemanha e está produzindo um documentário sobre a questão da imigração e do refúgio. Ele gravou um vídeo com a presença de um refugiado curdo que mora na país europeu. Eles conversaram sobre a vida pós-refúgio e os motivos que levaram o homem a fazê-lo.

Uma parte da equipe responsável pelo evento desenvolveu uma experiência interativa, alguns cartões contendo um código QR foi entregue para a plateia e o mesmo possibilitava que o indivíduo tivesse acesso ao vídeo abaixo, cujo tema diz respeito a recente crise na Síria.

O vídeo foi produzido pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e passa uma mensagem positiva vinda das crianças da Síria para as crianças e pessoas do resto do mundo. A canção expressa na letra o pedido delas de ter a infância de volta.

Início

A proposta do evento surgiu durante as aulas da professora Ana Meneguelli, para o terceiro período de Jornalismo do semestre passado, nas quais a turma desenvolveu um trabalho  sobre os refugiados. A proposta era apresentar aos alunos as diversas formas que os jornais tratam do tema, demonstrando que em muitos casos a mídia acaba apresentando um lado negativo sobre o tema, o que não deve acontecer.

Neste semestre a professora resolveu desenvolver mais o assunto e relacionou o trabalho com a disciplina de Estudos Contemporâneos do Jornalismo e de Produção Visual para Impresso, ministrada pelo professor Paulo Soldatelli. O resultado foram cartazes de todos os tipos e cores produzidos pelos alunos, os quais dão informações sobre diversos grupos sociais que pedem por refúgio.

 

O conteúdo foi  produzido depois de muitas pesquisas, o que ajudou os estudantes a entenderem melhor a situação de cada povo refugiado retratado. Entre estes estavam presentes cubanos, haitianos, venezuelanos, curdos, sudaneses e sírios. 

Sobre a ideia de organizar uma palestra sobre o tema, a professora Ana Meneguelli disse o seguinte:

“A proposta é compreender as principais questões relacionadas aos diversos grupos de imigrantes forçados e refugiados existentes na sociedade e discutir sobre formas de interferir na realidade para indicar possíveis soluções para os problemas encontrados”.

No dia do evento, os trabalhos foram expostos em painéis do lado de fora do Auditório Central da FAESA, e dias depois foram colocados na passarela que liga o bloco 4 ao 6.

Para a estudante de Jornalismo Lara Mireny, o evento foi muito importante:

“Eu gostei muito. Achei que foi muito interessante discutir a questão dos refugiados, já que se trata de um assunto pouco explorado pela mídia, principalmente as mídias digitais. Trazer todas aquelas informações para um público jovem é sempre muito bom”, disse.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: