Ser fã, até que momento é saudável?

O filme Tudo Por Um Popstar conta a história de três meninas que fazem de tudo para estar perto de uma banda que elas amam, para isso vivem as maiores aventuras e confusões. Mas até quando essa obsessão pelo ídolo é saudável? Qual o momento em que essa relação passa a ser doentia?

Tudo por um Pop Star
Gabi, Manu e Ritinha fazem de tudo para que seus pais deixem que elas assistam ao show em outra cidade / Foto: Divulgação

Basta ter um show ou uma tarde de autógrafos de algum famoso que logo uma legião de fãs aparece para demonstrar todo o carinho que eles sentem por seus ídolos. Mas algumas vezes essa idolatria pode passar dos limites causando certos problemas a pessoa que faz loucuras para estar perto de quem ela tanto ama.

Alguns artistas não aceitam esse tipo de atitude e acabam não dando atenção para esses fãs, gerando assim um distanciamento entre o ídolo e o seu público. Um exemplo disso é o que aconteceu com a cantora Sandy, que teve sérios problemas com um fã que invadiu o palco e tentou agarrá-la. Isso fez com que a cantora tomasse atitudes drásticas e reforçasse a sua segurança.

Conhecer o ídolo é o sonho de todo fã, mas alguns exageram e acabam ultrapassando os limites. Tem aquele que tenta invadir o hotel onde o artista está hospedado, existem ainda alguns que chegam ao extremo de fazer uma tatuagem homenageando o ídolo, pode ser o símbolo da banda, a frase de uma música, o rosto dele e assim por diante,

Por outro lado alguns artistas têm uma relação super saudável com seus fãs e acabam sendo amigos deles. Isso torna a relação mais saudável porque o fã vê que aquela pessoa é do mesmo jeito que ela, com suas qualidades e defeitos, como qualquer ser humano

Alguns fãs se comportam de forma adequada e só querem estar perto do artista e trocar uma palavra ou tirar uma foto. Ter um ídolo, desde que seja saudável, faz bem para os jovens que tem alguém em quem se espelhar. O psicólogo Gilberto Diniz, diz em seu artigo sobre idolatria que ela está presente na sociedade desde o início dos tempos.

“Desde os tempos mais remotos, o ser humano elege ídolos. Nas religiões, são os deuses. Na era medieval, eram os reis e rainhas. Agora, é mais comum idolatrar pessoas famosas, pelas quais temos uma admiração”, diz o especialista.

Atentados feitos por fãs

O fanatismo não está relacionado somente a causas políticas ou religiosas, como normalmente se pensa. Ele está associado a toda atitude exagerada, radical e compulsiva que uma pessoa pode ter. De acordo com o dicionário, o fanático pode ser alguém que segue de forma cega uma doutrina ou um partido, ou como o “culto excessivo de alguém ou de alguma coisa que leva a exaltação exagerada e a dedicação excessiva”.

Os fãs normalmente usam seus ídolos como válvula de escape para os problemas que sofrem. Por exemplo, algumas pessoas têm depressão e acabam vendo no ídolo uma forma de “cura”, ou seja, uma maneira de se sentir melhor diante dos problemas que enfrenta.

Alguns fãs são tão obsessivos que acabam cometendo atitudes consideradas irracionais, na maioria das vezes desencadeadas por ciúmes ou por problemas psicológicos. Algumas dessas pessoas chegam a preocupar os artistas já que existem casos que levaram a morte de uma das partes. O exemplo mais conhecido é do cantor John Lennon que foi assassinado a tiros por Mark Chapman. O crime ocorreu em 8 de dezembro de 1980, em Nova York, na frente do edifício Dakota, onde Lennon morava com a esposa, Yoko Ono, e o filho, Sean.

Paul Goresh - Foto John Lennon dando um autógrafo para Mark Chapman
Uma das últimas imagens de John Lennon com vida, na foto ele dá um autógrafo para Mark Chapman que momentos depois acabou dando 4 tiros no músico / Foto: Paul Goresh

Outro caso foi o da apresentadora e modelo Ana Hickmann que foi atacada por Rodrigo Augusto de Pádua, que se dizia fã da artista e invadiu o hotel onde ela estava hospedada. O cunhado da apresentadora entrou em luta corporal com o Rodrigo que acabou sendo baleado e morto na tragédia. O fã, segundo investigações, já havia planejado o crime e publicou anteriormente em suas redes sociais fazendo declarações à apresentadora.

Ana Hickman falando da tentativa de assassinato
Ana Hickman falando da tentativa de assassinato / Foto: Internet

Depoimentos

Em alguns casos os fãs viajam por muitos quilômetros para estar perto do seu ídolo, é o que conta o ator João Côrtes em uma entrevista realizada pelas redes sociais. João conta que numa peça na qual estava atuando um fã viajou de muito longe para assisti-lo. “Um fã viajou de uma cidade para outra, de carro, só para me assistir em uma peça, e a cidade era longe”, comentou ele. 

Alguns fãs demonstram seu amor pelo ídolo através de tatuagens com algo que lembre o artista, seu nome ou até mesmo seu rosto. É o caso da Andréa da Silva Picança, que é fã do ator Arthur Aguiar e fez uma tatuagem com seu autógrafo para homenageá-lo.

“Sou fã do Arthur Aguiar há sete, quase oito anos. Admiro muito o trabalho dele e o seu jeito com todas fãs. Tenho várias tatuagens e faço para mostrar meu carinho e amor por alguém. Resolvi fazer para mostrar minha admiração por ele”, contou Andréa da Silva Picança.

Tatuagem para Arthur Aguiar
Tatuagem para Arthur Aguiar / Foto: Andréa da Silva Picanço

Outra fã que demonstrou seu amor na pele foi Maiara Regina Souza, que tatuou símbolos para representar a atriz Lua Blanco, sua ídola.

 “A sinceridade que a Lua Blanco tem com as pessoas, de olhar olho no olho e falar o que pensa me fez ser fã dela. Eu fiz a tatuagem porque queria ter algo marcado na minha pele, não só para ela mas para mim também”, disse Maiara Regina Souza.

Tatuagem para Lua Blanco
Tatuagem para Lua Blanco / Foto: Maiara Regina Souza

A Gabrielle Felipe da Costa Melo fez uma tatuagem com o nome de uma das músicas de sua artista favorita para mostrar seu amor e admiração.

“Sou fã da Lua Blanco pelo caráter dela, pelo carinho, pela atriz e cantora maravilhosa que ela é. Fiz a tatuagem pelo amor que tenho, pela sua luta em nunca desistir de nada e mostrar como já me ajudou em muitas coisas mesmo sem saber. Tenho uma depressão horrível, mas só de saber da sua existência, só de escutar a voz da Lua tudo muda”, explicou Gabrielle Felipe da Costa Melo.

Tatuagem de fã para Lua Blanco
Tatuagem para Lua Blanco / Foto: Gabrielle Melo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: