Jovens passam noite em oração durante vigília na Festa da Penha

Thalita Mathias

No penúltimo dia da Festa da Penha 2019 aconteceu a Vigília Eucarística dos Jovens no Campinho do Convento e nesse ano marcou o início da vigília na programação da festividade. Organizado pela Comissão dos Jovens da Arquidiocese de Vitória, o evento contou com a participação de aproximadamente dois mil jovens que se dedicaram a passar a noite em oração ao Santíssimo Sacramento.

Muitos jovens de diferentes paróquias da Grande Vitória começaram a chegar no Campinho do Convento ainda cedo. Não demorou muito e já era possível ver todo o local ocupado por eles. Com uma missa celebrada pelo Padre Sandro Firmino Barbosa a favor da juventude, a noite teve início às 22 horas. Velas foram distribuídas entre os presentes identificando o fim da missa e o começo dos momentos de orações.

Uma das propostas do evento foi trazer o público mais jovem para as festividades. A preocupação da Igreja Católica com os jovens afastados da religiosidade já vem de tempos. O guardião do Convento, o Frei Paulo Roberto Pereira, 51, falou sobre o protagonismo da juventude na Igreja.

O jovem é quem evangeliza o jovem. Porque adaptar a linguagem é uma necessidade, mas não precisar adaptar já é um ganho, assim não precisa fazer um preparo, você já está preparado, então quando o jovem evangeliza já fica meio caminho andado. O protagonismo juvenil tem que ser resgatado na Igreja

Frei Paulo Roberto Pereira

Frei Adriano do Nascimento, 40, já foi morador do Convento da Penha e hoje faz parte da Paróquia do Rosário, em Vila Velha. O Frei participou da vigília eucarística e também afirmou a importância do jovem para a Igreja. “O jovem é fundamental, todos nós já fomos jovens e ficamos felizes de ver a juventude viva na sua fé. A presença de mais de 1.500 pessoas até o momento, faz com que fiquemos felizes com a resposta generosa do jovem a Deus e a fé católica”, declarou.

Como uma forma de atrair os jovens fiéis para participar da vigília eucarística, nada como jovens trabalhando na divulgação do evento, utilizando os meios que mais fazem sucesso entre eles. A responsabilidade da divulgação ficou por conta de 30 pessoas, aproximadamente, que fazem parte da Pastoral da Comunicação (Pascom). Com uma equipe formada em sua maioria por jovens, a Pascom tem em sua característica o uso de agentes dessa faixa etária para compor seu time. A facilidade com o uso dos meios de comunicação e a praticidade em conduzir com agilidade a informação é uma das razões para esse perfil.

Redes sociais e meios de comunicação de massa foram usadas pela Pascom, que utilizaram estes meios para trazer os jovens ao Campinho do Convento na noite da vigília. Rômulo Benha, 24, assessor de imprensa do Convento da Penha foi um dos organizadores do evento e falou sobre como ocorreu a divulgação.

Usamos a comunicação naquilo que o jovem está inserido, nas redes sociais, nas mídias, no Facebook, fazendo posts diários, vídeos curtos, stories no Instagram, divulgando em grupos de Whatsapp, além de pedir as próprias paróquias de gravarem vídeos convidando outras paróquias para participar. Usamos daqueles meios que os jovens já estão acostumados a usar diariamente.

Rômulo Benha

Durante a vigília

A missa em favor dos jovens começou às 22 horas e marcou o início da noite. Ao fim da liturgia, o Padre Sandro foi incumbido de levar Jesus Sacramentado até o altar, onde ali permaneceu até o fim da vigília. Distribuídas entre os presentes pelos jovens da Pastoral da Juventude, velas iluminaram toda a extensão do Campinho do Convento como uma forma de acalmar quem esteve participando e prepará-los para os momentos chaves. A oração mais famosa entre os cristãos, a oração do Pai Nosso, foi feita ainda no começo da noite. De mãos dadas em um grande círculo, os jovens começaram a prece em forma de canção.

Foto: Kebim Tamanini / 13ª Procissão Fotográfica – FAESA

A música foi uma aliada para os organizadores do evento. Como uma forma de animar e espantar o sono, a Comunidade Católica Água Viva foi a responsável pela animação da noite e fez os jovens cantarem e dançarem músicas já conhecidas entre os participantes. A emoção também fez morada naqueles que participaram da vigília. Incentivados a interceder uns pelos outros, a hora das orações de intercessão foi um dos principais momentos e comoveu os jovens que viraram a madrugada no Campinho.

Outro ponto alto do evento e que chamou a atenção dos presentes foram as orações em línguas feitas pelos condutores da noite. A subida dos jovens até o altar para, de joelhos, rezarem próximo a Jesus Eucarístico fez parte do momento das orações.

Gabriela Cunha dos Santos, 16, participou da vigília e contou como foi vivenciar esse momento. “Maravilhoso, Deus está aqui”, afirmou ela. Gabriela prosseguiu e disse como conseguiu permanecer firme a noite toda. “Eu acho que Deus renova, por mais que a gente esteja cansado, muitas horas de vigília, muitas horas aqui, mas Deus vai renovando e vai despertando no nosso coração uma vontade e acabou que nem vimos passar o tempo”, continuou.

James Lucas Ribeiro Soares, 19, é vocacionado na comunidade Mensageiros da Boa Nova, também compareceu e disse o que o levou a participar da vigília.

Venho para buscar uma intimidade com Deus, sempre estar em conexão. O máximo possível que você puder estar em contato com Deus é o máximo, o auge que você busca. Deus me chamou aqui por um motivo

James Lucas Ribeiro Soares

Mesmo com o foco na juventude, pessoas de todas as idades estiveram presentes na vigília eucarística e um número considerável de adultos e idosos também viraram a noite em oração. Maria da Penha Souza, 65, ficou sabendo da vigília durante a romaria das mulheres e contou sobre o que achou da primeira vigília dos jovens nas festividades da Festa da Penha. “Todo mundo está maravilhado. É a primeira vez que eu vejo isso aqui e nós até ouvimos turistas falando que vão voltar porque estão maravilhados com essa noite. Para o ano que vem vai dobrar o número de pessoas, foi muito bom. Eu espero que continue. O mundo agora é dos jovens, já fizemos nossa parte, agora estamos aqui para aprender com eles”, disse ela.

Emiliana Altoé Gomes, 37, foi até o Convento para a missa de meia noite, ela falou o porquê de permanecer no Campinho após ver o jovens reunidos. “Eu senti uma emoção muito forte de estar presente junto com os jovens. A espiritualidade da pessoa, mesmo quando ela é adulta, nunca deixa de ser jovem e eu espero carregar isso pelo resto da minha vida. Esse momento é de total sintonia e intimidade com Deus”, afirmou Emiliana

A vigília chegou ao fim com a missa de encerramento às 06 horas da manhã de segunda-feira, o Campinho do Convento ainda estava cheio de jovens que ficaram até o final da solenidade.

Publicado por:Valmir Matiazzi

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s