Nathália Ferreira

A biblioteca e o recursos humanos do Centro Universitário FAESA motivados em aperfeiçoar, estimular e qualificar os empregados da Instituição criaram o “Projeto dos Empregados”. O projeto funciona em forma de workshop, com uma duração de seis horas que são distribuídas em três encontros e ocorre na BibliotecaLab.

Empregados da FAESA participando do Projeto dos Empregados. (Foto: Lorenzo Savergnini / Lacos – Núcleo de Fotografia)

As aulas são baseadas no livro “Quem matou a mudança” do escritor de Kenneth H. Blanchard, Sérgio Waldeck de Carvalho, John Britt, Judd Hoekstra e Patrícia Zigarmi. O livro propõe ao leitor descobrir o que impede mudanças, ensina a aplicar lições no cotidiano e a liderar equipes independente das circunstâncias. Inclusive, as aulas são ministradas pelo Professor da Graduação e MBA da FAESA Lourival Antonio Cristofoletti. Ele afirma que as medidas lecionadas nas aulas tentam fazer o empregado a se autoconhecer.

Quando o empregado é convidado a se redescobrir, o propósito é que ele se conheça um pouco melhor. E se ele descobrir coisas boas em si, tem chances de contribuir para que aumente a autoestima

Lourival Antonio Cristofoletti
O Professor Lourival Antonio Cristofoletti com o livro do workshop (Foto: Lorenzo Savergnini / Lacos – Núcleo de Fotografia)

O workshop ocorre nos campi de Cariacica e Vitória e pretende atingir cerca de 100 empregados divididos em quatro grupos. Os participantes recebem um exemplar do livro para que o aprendizado seja desenvolvido além da sala de aula. A aluna do projeto e supervisora do setor de Inovação da FAESA, Bianca Rodrigues, participante do projeto, acredita que a mudança contínua move a inovação.

Eu acredito que a mudança deve ser feita todos os dias na nossa vida, na profissão e onde quer que a gente esteja. E o projeto coincidiu com os valores que eu tenho e acredito

Bianca Rodrigues
Livro de aprendizado do projeto dos empregados (Foto: Lorenzo Savergnini / Lacos – Núcleo de Fotografia)

A iniciativa de criação do projeto por parte dos setores responsáveis é justificada por acreditarem na eficácia dos treinamentos de empregado. Logo, o empregado ao participar do projeto desenvolve nele novas atitudes em relação a si mesmo e a Instituição. A Gestora da Biblioteca, Alessandra Pattuzzo, enxerga uma necessidade de se preocupar com o desenvolvimento do empregado.

Por meio desse projeto fica visível desde o primeiro encontro o cuidado do empregado ao reconhecer os objetivos do treinamento. Eles sentem que estão sendo vistos e reconhecidos por meios da formação. A formação transforma o ser humano

Alessandra Pattuzzo
Alessandra Pattuzzo (meio) ao lado de empregadas da Biblioteca durante a realização do projeto (Foto: Lorenzo Savergnini / Lacos – Núcleo de Fotografia)

Atitudes desenvolvidas com o projeto:

  • Autonomia
  • Cooperação
  • Participação
  • Diálogo
Professor Lourival Antonio Cristofoletti lecionando para os alunos (Foto: Lorenzo Savergnini / Lacos – Núcleo de Fotografia)
Posted by:Nathália Ferreira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s