Gabriel Barros

Há algum tempo era comum as pessoas esbanjarem estantes enormes de livros, mas com o passar dos anos e com o advento da tecnologia, esse hábito tem sido deixado de lado pelos jovens. Novos aplicativos, sites na internet e até aparelhos dedicados, exclusivamente, a livros eletrônicos, os chamados e-books, chamam a atenção dos novos leitores.

Enquanto algumas pessoas usam o celular apenas para mandar mensagens instantâneas, outras utilizam o aparelho para se dedicar aos estudos e a leitura de um bom exemplar. Para a maior classe leitora do Brasil, os estudantes, a praticidade que esses novos suportes trazem faz toda a diferença na rotina.

Carregar diversos livros ficou mais fácil. A leitura no percurso até o trabalho ficou mais dinâmica, sem mencionar a acessibilidade que a ferramenta oferece. A estudante Maria Eduarda Có afirma que a tecnologia oferece diversas possibilidades, pois a internet possui um extenso acervo à disposição de qualquer pessoa.

A estudante Maria Eduarda Có afirma ter conhecimento sobre as possibilidades e as acessibilidades que a internet oferece (Foto: Gabriel Barros/ Núcleo de Audiovisual)

Há pessoas que já conhecem esses recursos para leitura há algum tempo. A aluna Isabela Borges descobriu aos 11 anos um novo tipo de texto enquanto explorava a internet. Hoje, ela é amante de uma boa fanfic, as histórias de personagens famosos que são criadas pelos fãs.

Eu era fã dos Jonas Brothers e descobri nas redes sociais as fanfics. A partir desse momento também comecei a ler livros pelo computador

Isabela Borges
A aluna do curso de Jornalismo conta que compartilha textos de própria autoria em sites de leitura (Foto: Gabriel Barros/ Núcleo de Audiovisual)

A paixão pela leitura é tão ampla que Isabela também construiu o gosto pela escrita. No tempo livre, escreve textos e poemas e os divulga em um site especializado em compartilhamento de obras literárias. Ela conta que os textos são um universo alternativo para si.

Normalmente são sobre coisas que eu sinto, situações que eu gostaria de ver ou se estou em algum momento difícil. Uso para descarregar

Isabela Borges

Há também aqueles que ainda estão descobrindo esse novo jeito de ler. É o caso do estudante Saulo Ribeiro. O primeiro e-book que leu foi “Bárbara”, da escritora capixaba Brunella Brunello. A obra despertou a curiosidade e, consequentemente, cativou o jovem.

O estudante Saulo Ribeiro demonstrou interesse em comprar outros e-books disponíveis na internet (Foto: Gabriel Barros/ Núcleo de Audiovisual)

É um romance que se passa na capital Vitória. Fiquei muito curioso quando vi a sinopse do livro, mas só existia online. Tive que comprar pelo aplicativo e depois também comprei outras obras

Saulo Ribeiro

Em meio tantas transformações, ainda há quem valorize o livro físico com a possibilidade de sentir o cheiro e o toque. A estudante Isabela Pinheiro de Sá confessa gostar de sentir-se próxima dos livros para se desconectar das tecnologias e ficar atenta à mensagem da obra. 

A estudante Isabela Pinheiro de Sá gosta de consultar e ler os livros físicos (Foto: Gabriel Barros/ Núcleo de Audiovisual)

EDIÇÃO: Andressa Alves

FOTO DO DESTAQUE: Gabriel Barros/Núcleo de Audiovisual

Publicado por:Andressa Alves

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s