Isabela Wilvock

Fanfiction ou fanfic são em essência histórias criadas por fãs, baseadas em diferentes personagens e enredos que pertencem a diversos produtos presentes na mídia, como livros, filmes, HQs, animes, séries, celebridades, grupos musicais e bandas. Elas se popularizaram em 2010 e, hoje, estão presentes no dia a dia de muitas pessoas.

São diversas as plataformas que as distribuem e, atualmente, a mais famosa se chama “Wattpad”. Fanfics são muito mais do que histórias criadas por fãs como “forma de alimentar uma fantasia”. Nelas é possível encontrar um outro universo de escrita, criatividade e talento. “Cinquenta Tons de Cinza”, “After”, “Loving The Band”, “Como quase namorei Robert Pattinson”, “A Fada” e “Sábado À Noite” são alguns livros que antes eram fanfics.

Capa de alguns livros que antes eram fanfics ( Fotomontagem com imagens de divulgação: Isabela Wilvock)

Romance, comédia, mistério, suspense, terror, fantasia e ficção científica. São vários os gêneros que pode-se encontrar em cada história. Ana Paula Brito é estudante de Jornalismo e autora de Beastly, fanfic inspirada na história da Bela e a Fera. A fanfic de Ana Paula tem como personagens principais Jeongguk e Tae-hyung, integrantes do grupo musical coreano BTS. Na fanfic, os garotos vivem um romance adolescente.

Escrever depende muito do que estou apaixonada no momento. A paixão me fez querer juntar a vontade de escrever com o que gostei

Ana Paula Brito
Ana Paula Brito acredita que as fanfics ajudam as pessoas a terem mais interesse pela leitura (Foto: Isabela Wilvock/ Núcleo de Jornalismo)

Inspirada pela Disney e os contos de fadas, a estudante afirma que incluir esses temas foi uma escolha pessoal. Ela começou a ler esse estilo no Orkut, aos 8 anos de idade. Atualmente, conta com mais de 70 mil leituras na própria história. Ela diz que não havia prestado atenção nisso e que foram os amigos que a avisaram. Hoje, ela se encontra envolvida em outro projeto.

É interessante ver que a minha fanfic chegou a grandes números de visualizações. É uma sensação bacana saber que teve reconhecimento

Ana Paula Brito

A popularidade das fanfics chegaram aos livros e séries, como na obra “Fangirl”, em que a personagem principal é autora de uma e na série da HBO, “Euphoria”. A atriz Barbie Ferreira interpreta Kat, que escreve uma fanfic baseada em uma casal ficcional criado por fãs da banda One Direction. Na série, é possível perceber que o estilo de produção da fanfic pode ajudar várias pessoas, não só na descoberta de um talento, mas também a “saírem de suas conchas”.

O poder de imaginação e o fato de haver uma identificação mais impactante é o que ajuda a conquistar inúmeros novos leitores. Esse é o caso da estudante Jéssyka Klippel. Ela diz que a possibilidade de imaginar uma realidade paralela com uma pessoa famosa que admira foi o que a levou a ler fanfiction.

Jéssyka Klippel entende que, mesmo com as inumeráveis categorias e histórias que existem, ainda é difícil agradar a todos (Foto: Isabela Wilvock/ Núcleo de Jornalismo)

Consigo me imaginar na história, como um dos personagens. Escrever algo assim é de grande responsabilidade. Já tentei, mas não consegui terminá-la

Jéssyka Klippel

Jéssyka afirma que a forma como pode existir várias histórias diferentes com a mesma pessoa ou no mesmo contexto e, mesmo assim, conseguir serem diferentes uma das outras, é algo que chama muito a atenção dela. “Soul Rebel” era a fanfic preferida e se tornou livro. Para ela, o crescimento desse mercado é incrível, pois quanto mais visibilidade, mais histórias novas poderão surgir.

Cada leitor terá uma preferência de estilo que o agradará. Para Nathalia de Castro, as várias opções são o que mais a entretém na hora de escolher uma para ler. Ao falar sobre o preconceito que as pessoas ainda tem ao escutar sobre essa nova linguagem, ela diz: “As pessoas costumam julgar mal o gênero sem saber que muitas histórias de sucesso surgiram de uma fanfic”.

Nathalia de Castro gosta das histórias alternativas que esse universo engloba (Foto: Arquivo Pessoal)

A maneira criativa que os escritores colocam os personagens nas histórias e tentam trazer isso o máximo para a vida real é diferente do que normalmente é encontrado

Nathalia de Castro

Não há como negar que esse gênero veio e não irá sair de circulação. As possibilidades que existem podem ser exploradas por todos. São inúmeras as plataformas que as disponibilizam e, com o passar do tempo, esse estilo se tornará cada vez mais profissional. As fanfics contém histórias cativantes e caso alguém ainda tenha preconceito com elas é porque ainda não encontrou aquela que conquiste o coração.

Foto do Destaque: The Guardian/ Divulgação

Edição: Isabela Wilvock/ Núcleo de Jornalismo

Publicado por:Isabela Wilvock

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s