Andressa Alves

Inteligente, esforçada, cineasta e futura publicitária. São esses uns dos vários adjetivos que remetem à estudante do 8° período do curso de Publicidade e Propaganda do Centro Universitário FAESA Lívia Rein, 21 anos. Ela é apaixonada por cinema e decidiu realizar um curso em São Paulo. O curso gerou um curta metragem, que hoje está presente em mais de 15 festivais internacionais e nacionais.

A estudante natural de Cachoeiro de Itapemirim sempre gostou de cinema, mas nunca imaginou chegar onde está. Ela afirma ter conhecido o curso há dois anos por meio de uma colega da faculdade e logo demonstrou interesse. Com isso, recebeu o apoio da família e de vários professores. “Eu sou a minha maior apoiadora, além de todos os meus professores. Eu pedia conselho, pois fiquei com medo de ficar em um lugar sozinha. Isso assusta”, conta Lívia.

Dentre os orientadores e apoiadores citados por Lívia Rein está a professora do curso de Publicidade e Propaganda Carine Cardoso. Ela que expressou imensa felicidade ao ser citada pela ex-aluna.

Entrevista cedida pela professora Carine Cardoso
A estudante Lívia Reim está no último ano do curso de Publicidade e Propaganda e revela o desejo em produzir outros curtas (Foto: Arquivo pessoal)

Ao matricular no curso de cinema, Lívia conheceu as meninas que também foram responsáveis pela produção. Em um grupo de seis pessoas, a estudante confessa que o trabalho foi de extremo cansaço. Elas tinham aula das 7 às 18 horas, de segunda à sexta, e separavam as noites e finais de semana para a realização da obra, que durou um mês. Confira abaixo o nome e a função de cada uma:

Direção: Mariana Stolze
Produção: Vitória Campos
Dir. Fotografia: Lívia Aprá
Dir. de Arte: Julie Lobo
Montagem: Juliana Santos
Design de som: Lívia Reim

Foi um trabalho colaborativo. Fomos até em galpões buscar os materiais para montar o cenário. Temos planos de continuar a trabalhar juntas, produzir conteúdo digital e outros curtas.

Lívia Rein

O curta metragem recebeu o nome de “Longe”. Ele conta a história de uma menina lésbica que receberia a mãe para jantar. A mãe tem conhecimento sobre a orientação sexual da menina. Contudo, após a filha ver uma publicação da mãe, começa a questionar se realmente deve recebê-la em casa.

O filme foi aceito em 15 festivais espalhados por quatro continentes, além de ganhar um prêmio internacional. Por enquanto, a produção não pode vir a público, mas Lívia confessa que foi muito aceito por onde passou.

Nunca tivemos a intenção de ficar famosas e não sabíamos que daria essa repercussão. Fico muito feliz em ter feito parte do projeto e conhecido essas pessoas. Cada dia está sendo um choro de alegria

Lívia Reim

A futura publicitária ficou um mês “sozinha” em São paulo e conta que, apesar do medo, foi uma experiência única. Ela relata que obtinha um conhecimento básico de cinema e aprendeu muito durante o tempo que esteve fora de casa.

Tenho muito orgulho, pois foi feito com paixão. Voltei com muita coisa que mostrei para minha turma e meus professores. Consegui trazer a experiência para todo mundo e pude compartilhar.

Lívia Rein

A parceria com as meninas também resultou em uma conta no Instagram chamada “paralela filmes”, um coletivo de mulheres do Audiovisual foi, então, formado

Edição: Andressa Alves/ Núcleo de Jornalismo

Foto do destaque: Arquivo pessoal

Publicado por:Andressa Alves

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s