Conheça o trabalho da PMES contra o bullying nas escolas capixabas

Kathleen Vieira

O bullying é definido como um ato violento, físico ou psicológico, cometido contra uma pessoa e que pode gerar sérias consequências para a vítima, podendo levar, inclusive, em casos mais graves, à morte. No dia 20 de março, comemora-se o Dia Estadual da Conscientização contra o Bullying. Esse dia de grande importância foi criado no Estado do Espírito Santo a partir da lei nº 9.653 sancionada em 28 de abril de 2011como forma de prevenção.

Na luta contra o bullying é possível encontrar diversas iniciativas que buscam combater esse mal e uma delas é o trabalho da Companhia Especializada de Polícia Escolar (Cepe), que foi criado a partir do Decreto nº 4.266-R de 21/06/2018. A Cepe é uma Unidade Operacional responsável pelo policiamento ostensivo escolar, que desenvolve ações dentro das escolas, visando reforçar a segurança por meio da atuação diária de policiais capacitados.

A Cepe tem como objetivo promover junto à comunidade escolar um ambiente apropriado para o ensino e a aprendizagem, auxiliando no processo da cultura da paz e na busca de uma parceria eficiente para solucionar os problemas que surgem no ambiente escolar. Os policiais que fazem parte da Cepe participam de uma capacitação a respeito do Estatuto da Criança e do Adolescente com visitas às escolas para acompanharem a rotina escolar e terem a oportunidade de interagir com os alunos. Assim, os policiais participam do cotidiano das escolas e de suas relações com a comunidade.   

Cabo PM Victor atua contra a prática do bullying nas escolas (Foto: Divulgação Cepe)

O Cabo PM Victor trabalha com o policiamento na cidade de Vitória pela Cepe. Ele afirma que o bullying é um assunto muito tratado durante as palestras e atendimentos que são realizados nas escolas que os recebem. “Fazemos palestras que falam sobre os tipos de bullying, contamos histórias de pessoas que já venceram esse mal e também mostramos estratégias de como vencê-lo. Tudo é feito de acordo com o Regimento Escolar. Nós também fazemos atendimentos nas salas de aula para falar sobre o tema e tentamos identificar pessoas que estão sofrendo com o bullying”, declara o Cabo da PM. 

A Cepe, além de trabalhar com os estudantes, também orienta os pais por meio de palestras para que eles fiquem atentos aos sinais que os filhos dão e possam saber se eles estão sendo vítimas ou agressores, possibilitando, assim, uma intervenção mais rápida contra o bullying. Além de trabalhar com a conscientização, a Cepe também é responsável pela condução até a delegacia quando não é possível evitar a ocorrência do bullying dentro da instituição de ensino.

“Outra ação nossa é condução para a delegacia quando não conseguimos evitar uma prática de bullying já reiterada. Aplicamos o Regimento Escolar que, na Sedu é um ato infracional,  pode gerar uma suspensão e até mesmo transferência compulsória. De certa forma para aquele que está sendo vítima e não suporta mais estar na escola é um tipo de escape ao ver o agressor sendo retirado da escola ou até mesmo sendo levado para  a delegacia”, finaliza o Cabo PM Victor.

A assistente social do Nap Luana Cabral que o trabalho feito pela Cepe é importante para diminuir a violência nas escolas (Foto: ACS)

A assistente social do Núcleo de Apoio Psicossocial (NAP) da Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar do Estado do Espírito Santo (ACSPMBM/ES) Luana Cabral ressalta que o trabalho desenvolvido pela Cepe é muito importante pela contribuição em coibir a prática de violência no ambiente escolar, que é um dos pilares da formação da sociedade e espaço extremamente importante na construção da cidadania. “O Policial Militar na abordagem do bullying na educação de crianças e adolescentes é muito apropriado, uma vez que ele, por ser uma autoridade, consegue levar maior compreensão aos estudantes do real significado dessa prática violenta que pode gerar danos irreparáveis às vítimas e sanções socioeducativas a quem pratica”, declara Luana Cabral.

A Assistente Social também ressalta que esse trabalho desenvolvido pela PM contribui na diminuição de futuras ações repressivas, visto que as campanhas de conscientização alcançam um bom efetivo. Além disso, a Cepe também possibilita à comunidade conhecer melhor o serviço desenvolvido pela Polícia Militar. “Por meio do programa é possível criar outra perspectiva em relação ao policial, inserindo-o como importante agente na educação e formação da sociedade para além do trabalho ostensivo nas ruas, possibilitando, assim, outra visão diante da imagem de violência atrelada a sua figura”, finaliza a Assistente Social da ACS.

Edição: Sofia Galois

Imagem em Destaque: Divulgação Cepe

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s