Como a pressão estética afeta o psicológico feminino

Karol Costa

Desde o início dos tempos, as mulheres sofrem com a pressão estética que a sociedade impõe. Atualmente, o capitalismo é o grande responsável por propagar um padrão de beleza inalcançável com o intuito de gerar lucro para as grandes indústrias. Todos os dias, mulheres de diversas etnias e classes sociais são bombardeadas com soluções para problemas que não existem, afetando diretamente o psicológico feminino.

Em 2019, os procedimentos cirúrgicos e não cirúrgicos tiveram um aumento total de 7,4% de acordo com a ISAPS (Foto: Freepik)

O sociólogo e professor universitário Vitor Nunes explica que os padrões de beleza fazem parte do senso estético do ser humano, que define o que é belo e o que é feio. Esses parâmetros criam hábitos de consumo e de comportamento que ocasionam em buscas desenfreadas para atender às exigências sociais quanto ao que é socialmente reconhecido como bonito.

Já o psicólogo Pedro Paulo afirma que o reforço de padrões estéticos que a mídia faz geram gatilhos emocionais em pessoas com baixa autoestima e podem causar o desenvolvimento de uma infinidade de transtornos relacionados à saúde mental. “Os distúrbios mais comuns na sociedade contemporânea são a ansiedade e a depressão. Existem muitos casos também de transtornos alimentares como a bulimia, por exemplo”, completa Pedro.

Uma pesquisa realizada pela empresa Sophia Mind revela que 56% das mulheres estão insatisfeitas com o próprio corpo. A arquiteta Maria Luiza Gonçalves, 24 anos, relata que já fez dois procedimentos estéticos para mudar pontos na aparência que a incomodavam. “Fiz otoplastia porque, desde criança, as orelhas muito grandes não me agradavam e eu não usava nem cabelo preso por vergonha”, declara a arquiteta.

Escovista Mislene Santos (Foto: Arquivo Pessoal)

A escovista Mislene Santos, 37 anos, também já realizou procedimentos estéticos. “Fiz botox para prevenir marcas de expressão no rosto há um ano e parei somente por falta de dinheiro mesmo”, relata Mislene. A escovista completa alegando que tem vontade de realizar outras intervenções, como cirurgias plásticas.

A Sociedade Internacional da Cirurgia Plástica Estética (ISAPS) publicou em 2020 um estudo que revela que os procedimentos cirúrgicos e não cirúrgicos em todo o mundo tiveram aumento total de 7,4% em 2019. Esses dados podem ser comprovados na prática pelo cirurgião plástico José Américo Villas. O cirurgião notou uma alta procura por procedimentos estéticos nos últimos anos, principalmente por mulheres na faixa etária de 30 a 40 anos.

José Américo relata que, em países quentes como o Brasil, as cirurgias plásticas mais procuradas são as de contorno corporal, tais como mamas e lipoabdominoplastia. O cirurgião declara também que a cobrança estética exigida pelas mídias sociais é o principal fator causador desse aumento consecutivo de cirurgias plásticas e de outras intervenções estéticas.

O psicólogo Pedro Paulo relata que o reforço contínuo de padrões estéticos pela mídia e pela sociedade devem ser combatidos por meio da aceitação.

Se informar sobre questões estéticas e fazer um trabalho de psicoeducação é o caminho. Existem muitas fontes de informação que discutem padrões estéticos e que podem ajudar as mulheres a se aceitarem mais

Pedro Paulo

Edição: Karol Costa

Imagem Destaque: Freepik

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s