Pensando revolucionariamente com Hamilton: an american musical

Sofia Galois

Questões políticas parecem estar cada vez mais em evidência. Contudo, a história da humanidade se resume a um ciclo repetitivo e os problemas de séculos atrás apenas se reciclam. O musical revolucionário Hamilton: an american musical retrata de forma divertida e provocativa o contexto da revolução americana por meio dos relatos da vida do ousado estrangeiro que se tornou o primeiro secretário do tesouro dos Estados Unidos, Alexander Hamilton

Pintura de Alexander Hamilton (esquerda) ao lado do ator Lin Manuel Miranda (direita) que interpreta o revolucionário no musical (imagem: wikimedia Commons/ Divulgação Disney+)

A obra teatral estreou em 2015 já causando grande controvérsia, pois a temática não foi a única questão revolucionária envolvendo o musical. Hamilton apostou em uma mistura de história com modernidade, do hip-hop ao soul, gerando muitas dúvidas por parte do público. Os relatos da vida de Alexander são contados sob as perspectivas de diferentes personagens por meio de gêneros musicais contemporâneos. 

O musical Hamilton reúne fãs de todas as idades devido à abordagem inovadora (imagem: The Wall Street Journal)

Apesar das críticas, o musical se tornou um sucesso sem medidas. Hamilton conquistou o Prêmio Pulitzer de Drama, além de um Grammy de Melhor Álbum de Teatro Musical e venceu ainda 11 categorias da premiação Tony Awards, principal cerimônia de teatro estadunidense. Por meio da abordagem inovadora, a obra foi capaz de unir um público de todas as idades, propagando a valorização da cultura. 

No entanto, a vida de Alexander Hamilton não foi cercada de glamour. Imigrante nascido nas Ilhas de Nevis, nas Antilhas, o jovem se tornou órfão aos 13 anos após a morte da mãe que o criara sozinha. Hamilton passou a trabalhar amparado pela comunidade, desenvolvendo um interesse extremo por economia. Além disso, era um leitor voraz e autodidata, produzindo diversos ensaios sobre questões políticas. 

Em 1772, o revolucionário havia ganhado reconhecimento na comunidade pela profundidade dos artigos escritos, apesar da idade precoce. Assim, por meio de uma mobilização, conseguiu ser enviado a Nova York, onde iniciaria os estudos em universidades de prestígio. Jovem e com fortes ideais, Hamilton rapidamente se tornou um dos principais articuladores do movimento de independência, sendo nomeado braço direito de George Washington.  

Elenco de Hamilton celebra conquista no palco da 58ª edição do Grammy Awards (Imagem: Theo Wargo/Getty Images)

A partir daí, a carreira política de Alexander decolou. Envolvido em uma diversidade de confusões pelo temperamento curto, o jovem desenvolveu fortes amizades e também inimigos declarados. No auge da ambição, Hamilton foi constituído como primeiro Secretário do Tesouro Americano. Os ensaios, protestos e ideias do estrangeiro se tornaram base forte para a formação da Constituição norte-americana. 

Porém, a história de Alexander não inclui somente conquistas. Pelo contrário, à medida em que ganhava reconhecimento, mais tragédias o acometiam. Uma vida de glória foi acompanhada de traições, mortes de pessoas queridas, humilhações públicas e desgraças, terminando com o assassinato de Hamilton em 12 de julho de 1804. 

Apesar disso, Alexander Hamilton continua a inspirar diversos espectadores todos os dias a lutarem pelo que acreditam. Em especial, a história do revolucionário foi o que impulsionou o escritor do musical, o dramaturgo porto-riquenho Lin Manuel-Miranda, após ler a biografia de Alexander. 

Lin Manuel Miranda também é autor do celebrado musical In the Heights e diretor do recente filme da Netflix Tick,Tick…Boom (imagem: Getty images)

Ator, cantor e compositor, Lin Manuel é conhecido como atual Rei da Broadway, tendo também atuado em filmes como Mary Poppins Returns, além de compor toda a trilha sonora de longas como Moana e Encanto. O talento impressionante do artista teve seu ponto de decolagem com a estreia da peça teatral. Apesar de ter escrito e estrelado outras produções de reconhecimento anteriormente, Hamilton mudou para sempre o destino da carreira de Lin. 

Em 2020, o musical foi adaptado para as telas pela primeira vez em homenagem à despedida do elenco original. A ideia inicial era produzir um filme da obra, com direcionamento cinematográfico específico. Contudo, devido a pandemia, o diretor Thomas Kail optou por proporcionar aos telespectadores uma experiência teatral. Assim, a versão é resultado da edição de três apresentações gravadas no Richard Rodgers Theater, em Nova York, Estados Unidos. 

A ideia agradou muito ao público, devido ao alto preço dos ingressos. Assim, a obra disponível na plataforma Disney+ pode ser considerada um avanço em questões de acessibilidade à cultura. Que tal viajar para o passado por meio do rap, com fortes emoções garantidas? Hamilton: an american musical ensina que há sempre mais de uma versão para a história. 

Edição: Sofia Galois

Imagem em destaque: Núcleo de publicidade Lacos / Bruna Firmes

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s